Na próxima quinta-feira (13) ocorrerão assembleias gerais nos 27 sindicatos de arbitragem existentes no país para discutir uma possível greve da categoria, que pode paralisar todas as Séries do Campeonato Brasileiro.

Após a presidente Dilma Rousseff vetar um dos itens da Medida Provisória 671 (MP do Futebol) que falava do direito de arena dos árbitros, que teriam repasse de 0,5% dos valores de transmissão da TV, os debates nos sindicatos começaram.

Publicidade
Publicidade

Segundo o presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf), Marco Antônio Martins, os encontros estão marcados para quinta-feira e escolherão as medidas tomadas pela entidade. Cabe a categoria marcar o início da greve, que atingiria as quatro divisões nacionais.

Marco Antônio Martins afirmou que na última sexta-feira, 7, já houve um encontro com 40 árbitros no Rio. E que irão impetrar uma liminar na Justiça solicitando que não exibam mais as imagens dos árbitros nas transmissões de futebol.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol

De acordo com ele, já foi apresentado a CBF um pedido apoio a MP (a inclusão do item vetado). "Pedimos que a CBF interfira junto aos clubes para que a gente possa receber nossos direitos", explicou Marco Antônio.

O presidente da Anaf disse ainda que são os sindicatos dos estados que definirão sobre a greve. Mas, que a Associação Nacional é favorável a paralização. A decisão de todos os estados deve sair até o fim desta quinta-feira.

Na última segunda, 10, Marco Antônio Martins, e os árbitros Péricles Bassols (RJ) e Marcelo de Lima Henrique (PE), estiveram reunidos com o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, para debater a questão do veto de Dilma.

Publicidade

Segundo o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, o pensamento de fazer greve no atual momento poderia taxar os árbitros de aproveitadores, e que a greve não é uma ideia vinda dos próprios árbitros.

O repasse de 0,5% dos direitos de transmissão da TV significaria, segundo o presidente da Anaf, R$ 9 milhões, que seriam distribuídos a classe por campeonato. De acordo com Marco Antônio, isso renderia algo em torno de R$ 10 mil por partida ao quarteto de arbitragem.

Atualmente, os árbitros que possuem escudo Fifa ganham cerca de R$ 4 mil por jogo. Um aspirante à Fifa recebe por volta de R$ 3,2 mil e os demais ficam com R$ 3 mil, todos em valores brutos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo