BN: Grandes lendas do Grêmio como Dinho, Jardel, Carlos Miguel, Paulo Nunes, China, Mazaropi já viajaram com vocês, correto? Como foi o contato com esses ídolos e há alguma história bacana que tenha vivenciado com eles e que possa nos contar?

JG: Correto, tivemos o privilégio de todos esses ídolos rodarem, mesmo que poucos metros, com a nossa Kombi Tricolor. O contato com os ídolos é sempre nessas confraternizações e encontro de gremistas.

Todos os consulados e associações realizam seus eventos e trazem algum ídolo para os torcedores conhecerem, tirarem fotos e pedirem autógrafos. Isso deixa o "gremismo" sempre forte na região. Os jogadores, na grande maioria, são gente como a gente, pessoas simples e que respeitam muito os torcedores e o clube.

Em um evento em São João do Oeste, em 2013, o volante Dinho foi convidado para desfilar na carreata dentro da Kombi.

O convite foi feito com um certo receio, não sabíamos como o "Cangaceiro dos Pampas" reagiria a um convite desses, no caso, passear dentro de uma Kombi. A resposta dele foi acompanhada de muita gargalhadas por todos que estavam por perto: "Eu só vou se puder ir dirigindo". E assim foi: no 6° Encontro dos Gremistas de São João do Oeste, em 2013, Dinho puxou a carreata, dirigindo a Kombi Tricolor. 

BN: Quantas viagens vocês já fizeram e já estão se planejando para os jogos da Libertadores do ano que vem?

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Curiosidades

JG: Pela região em eventos, já perdemos a conta, foram várias cidades. Em jogos, foram duas viagens para Chapecó (2014 e 2015) e três vezes para Porto Alegre (2013, 2014 e 2015). No retorno da viagem da semana passada, já conversávamos sobre a próxima. Pensamos em uma confraternização com amigos da capital catarinense em algum jogo em Florianópolis. Libertadores está na pauta, porém, por ser em dia de semana, torna-se muito mais complicada a viagem, já que levamos cerca de 11 horas de viagem, inevitável passar a noite em hotel.

Se não for no final de semana ou feriado, perder dois dias de trabalho é sempre o obstáculo. 

BN: Para finalizar: o que te motiva e motiva os outros gremistas de São João do Oeste a viajar mais de 550 km para ver o time?

JG: O lema de uma das torcidas do Grêmio pode descrever boa parte do que sentimos: "Amizade, Trago e Alento". Passar um final de semana na companhia dos amigos, e ainda acompanhar um jogo do Grêmio na Arena, não tem preço.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo