Lopetegui, para aceitar sua rescisão, tem que receber o prêmio da conquista de, pelo menos, uma das competições que o FC Porto ainda está inserido. Segundo informa o jornal “Expresso”, o ainda técnico do FC Porto está dificultando todo o processo ao clube, não permitindo sequer que a sua direção possa contratar o novo treinador, enquanto sua situação não estiver resolvida. O FC Porto quer apenas pagar ordenado de Lopetegui até junho de 2017, porém o técnico espanhol só assina o acordo se receber um dos prêmios quer seja do Campeonato Português, Taça de Portugal ou Liga Europa.

No que parece ser um verdadeiro ataque ao FC Porto, Lopetegui fez uma proposta de rescisão ao clube verdadeiramente inqualificável e que, para muitos portistas nas redes sociais, é uma ofensa para a instituição que tentou dar ao espanhol o máximo de condições e carinho possíveis enquanto ele ainda estava comando o time.

Contudo, depois de mais de um ano e meio recheado de insucessos e desilusões, Pinto da Costa foi obrigado a demitir o técnico espanhol que tinha contrato com o clube até junho de 2017. Com a maior brevidade possível, tal como garante o jornal “Expresso”, o FC Porto queria substituir o técnico espanhol, contudo o atual impasse nas negociações com Lopetegui faz com que o clube esteja proibido de oficializar o seu novo treinador, tudo porque o espanhol ainda está ocupando o lugar para os regulamentos portugueses.

Assim, se o acordo não for assinado até o final do mês de janeiro, o Porto fica com a contratação do novo técnico verdadeiramente hipotecada, algo que pode fazer com que a época seja altamente prejudica, levando o clube a um ano verdadeiramente desastroso. Cabe agora a Lopetegui retirar a sua exigência de receber um dos prêmios reservados para a conquista de um dos títulos que o time ainda está em competição, para o clube conseguir resolver todos seus problemas.

Os melhores vídeos do dia

Mas estará o técnico espanhol disposto a facilitar a vida ao FC Porto, ou obrigar o clube a continuar com Rui Barros, técnico que ao fim de 15 dias, pelos regulamentos de trabalho portugueses, tem que sair do comando da equipe principal do clube?