Anúncio
Anúncio

Para assistir o Palmeiras na Copa Libertadores contra o Rosário Central, no Allianz Parque, no próximo dia 03 de março, o torcedor alviverde precisa desembolsar R$ 90. Detalhe: para ficar no setor mais barato, ou seja, o Gol Norte. Se quiser ficar no setor de meio-campo, o valor pula para R$ 175,00.

A pré-venda para sócios Avanti começou às 10h. No horário, já era possível ver centenas e centenas de reclamações em grupos do whatsapp. Além disso, funcionários do programa de sócio-torcedor não atendiam as ligações. No chat online, cerca de 1h30 de espera. 

Depois de vários problemas com a comercialização, o clube implantou uma espécie de 'espera virtual'. O palmeirense entra no sistema e uma tela com os dizeres "estamos com um grande volume de acessos" .

Anúncio

Logo abaixo um aviso: "um alerta sonoro será emitido assim que for sua vez". A partir daí é possível comprar o bilhete. 

Torcedores reclamaram nas redes sociais que ficaram mais de 2h para conseguir comprar. Resolvemos fazer o teste e "pimba": estamos nessa tela de espera desde às 11h30 da manhã (agora são, precisamente, 14h01). 

A revista também não chega

Quem aderiu ao Avanti, recebeu um kit inicial. O plano mais simples tem caneta, certificado e um adesivo. A promessa do clube era entregar, a cada bimestre, uma nova revista oficial para cada assinante. Mas não é isso que está acontecendo de fato. Nas redes sociais muitos palmeirenses reclamam do problema e da falta de atenção. 

Uma das explicações do Avanti é que o fornecedor pode ter o cadastro duplicado e, por isso, a revista não chega. Por exemplo: o palmeirense que é sócio do clube e também aderiu ao Avanti, na teoria, tem dois cadastros.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

Ao invés de receber duas edições da publicação, fica sem receber nenhuma delas. 

Por que não posso entrar?

Outra reclamação frequente é o erro na hora de creditar o ingresso no cartão. Na final da Copa do Brasil vários torcedores não entraram no estádio pois o sistema acusava que já 'existia' palmeirense com o mesmo número de carteira dentro da arena. Mesmo caracterizado como fraude, funcionários do Avanti nada fizeram para amenizar a situação.