Durante a participação de Maria Sharapova no Australian Open, um exame antidoping flagrou a russa com uma substância chamada Meldonium, que é utilizada para aumentar o fluxo sanguíneo. Isso provocou a eliminação da tenista e, também, foi o motivo da Nike anunciar, já nessa terça, 8, o rompimento do contrato de patrocínio com a atleta. Apesar do ‘baque’ sofrido por Sharapova, ela afirma que não quer acabar com uma carreira de títulos e glórias sendo pega em um exame.

“Eu cometi um grande erro. Decepcionei meus fãs e o esporte", disse a russa emocionada em entrevista. "Sou responsável pelo que coloco e deixo colocarem em meu corpo”, continuou.

Ela explicou que de fato tem uma parcela de culpa por isso ter acontecido, já que deveria ter um pouco mais de cuidado com o que ingere. Com relação à possível continuação ainda como uma atleta do Tênis, ela afirmou: “Não quero terminar a carreira assim. Quero voltar se eu tiver a chance”, concluiu.

A russa ainda teve mais uma perda nessa manhã. Isso porque a sua patrocinadora, Nike, divulgou nota afirmando que não estará mais patrocinando as atividades esportivas da tenista. No entanto, a empresa esportiva confessou que apesar da decisão, irá continuar monitorando essa questão do doping de Sharapova. “Nós continuaremos a monitorar a situação”, disse. A nota ainda revela que o pessoal da Nike ficou bastante surpreso com essa notícia, pois a russa é uma das atletas mais disciplinadas do mundo dos esportes.

Os melhores vídeos do dia

Na mesma entrevista coletiva para a imprensa, Sharapova confessou que já havia tomado esse mesmo remédio haviam alguns anos, mas nunca em nenhum deles foi encontrado essa substância, a Meldonium. A dona de cinco títulos de Grand Slam, ao final de sua entrevista, pediu encarecidamente mais uma chance para voltar a ser uma atleta do tênis, pois, segundo ela, esse não é um final que ela pensou em ter. De acordo com a atleta, o seu final de carreira precisa ser algo mais compatível com o que ela apresentou durante a carreira profissional no tênis.

Com relação à Nike, essa não é a primeira vez que a empresa rompe com um atleta antes do término do contrato. Manny Pacquiao, uma pugilista, também teve o seu contrato rompido após ter feito algumas declarações negativas com relação aos gays.