Convidado para percorrer um dos trechos segurando a 'Tocha Olímpica', o jovem boxeador David Lourenço, de 24 anos, ostenta dois títulos, o de Campeão dos Jogos Olímpicos da Juventude e Campeão Juvenil Amador. Ele garante que sentiu-se muito honrado com o convite, mas seu objetivo é participar das Olimpíadas do Rio. É para isso que vem lutando, pois sabe que todos esperavam o seu melhor e ele também tinha  muitas esperanças de conquistar uma medalha olímpica em casa.

De repente, David viu sua vida tomar um rumo totalmente inesperado.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Segundo ele, sua família foi uma de suas maiores desilusões, pois só enxergavam nele um 'cofrinho'. Desiludido, o atleta começou a beber, faltar aos treinamentos, desaparecia de casa por vários dias e, o pior, começou a engordar.

Dos 79 quilos que mostravam seu corpo atlético passou a 93 quilos. Ele conta que na época de 'garoto prodígio' ganhava mais de R$ 15 mil, hoje tem que se contentar com o salário mínimo.

O resgate

Depois de tanto sofrimento, voltou a ter esperança quando um dia ao entrar no facebook, em 2014, reencontrou o técnico que o descobriu, Ricardo Rodrigues. Eles voltaram a ter contato e recordar as boa lembranças. David sorri ao lembrar da bronca que Ricardo levou da esposa Valéria porque usou o dinheiro da lua de mel na compra das passagens do atleta para que disputasse seu primeiro Brasileiro de Cadetes. Com esse gesto, o amigo lhe abriu as portas para a Seleção Brasileira.

O garoto não decepcionou e em pouco tempo ganhou dois títulos, em 2010 fez uma proeza que ninguém ainda tinha conseguido, ganhou o título de Campeão Mundial Juvenil e no mesmo ano tornou-se campeão nos Jogos Olímpicos da Juventude.

Os melhores vídeos do dia

Depois dessa conversa, as coisas voltaram a acontecer na vida do rapaz, em um ano perdeu vinte e quatro quilos e agora sob a supervisão do amigo e técnico voltou a treinar na seleção brasileira e até casou.

Emocionado, Rodrigues diz que acredita muito no potencial de David como atleta e lembra de sua própria história, quando foi convocado quando faltavam só vinte dias para os jogos de Atlanta/96. 

Mesmo com a seleção já completa, David diz que treina como se a vaga fosse dele.