Na última semana, o mundo do Futebol se encantou com a bela história do Leicester, equipe que, depois de fugir de um certo rebaixamento, surpreendeu os grandes e, nesta temporada, levantou o inédito título do Campeonato Inglês. No Brasil, atualmente, essa história é quase impossível de acontecer, mas, em épocas passadas, algumas das equipes chamadas "de menor investimento" tiveram os seus momentos de glórias, chegando, inclusive, a conquistar títulos de grande importância no cenário nacional.

Vejamos, abaixo, alguma dessas sagas dos "Leicester tupiniquins".

O glorioso Guarani campeão brasileiro

O mais bem sucedido intruso, sem qualquer dúvida, é o Guarani. Durante muito tempo, ocupou a galeriados grandes, não só pelos seus feitos, como o fato de, com a Ponte Preta, dividir a preferência da numerosa população de Campinas, uma das maiores cidades do Brasil.

No ano de 1978, o Bugre reuniu, em seu elenco, iminências do futebol brasileiro, como Zé Carlos, Zenon e Careca.

Sob o comando de Carlos Alberto Silva, o Alviverde do interior de São Paulo viveu o ápice de sua trajetória ao conquistar o Campeonato Brasileiro, derrotando, na final, o poderoso Palmeiras. Foi vicedomesmo certame em duas ocasiões (1986 e 1987). A partir de então, começou a submergir lentamente e, no momento, é só umabela lembrança de um clube que agoniza nas divisões inferiores do futebol brasileiro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol PaixãoPorFutebol

O "fenômeno" São Caetano

Muito tempo depois do Guarani, mais precisamente no ano de 2000, diante de um Maracanã com quase 60 mil presentes, o São Caetano, então desconhecido clube da Região do ABC paulista, começou a viver o seu tempo mágico. Na ocasião, com um "chutaço" do atacante Adhemar, eliminava o Fluminense das oitavas de final da Copa João Havelange (Brasileirão daquele período) e gerando um frisson no cenário futebolístico nacional.

Para demonstrar que não era "brilhareco", naquele mesmo torneio, o Azulão deixou Grêmioe Palmeiras pelo caminho, garantindo presença na final, superado apenas pelo Vasco de Romário, Juninho Paulista e Juninho Pernambucano.

As temporadas se sucederam e o São Caetano não deixava de frequentar o rol dos grandes. Em 2001, voltou a ser vice-campeão brasileiro, perdendo, dessa vez, para o Atlético/PR. No ano seguinte, mais uma campanha épica que fracassou na decisão: a Libertadores de 2002, tendo, como algoz, o Olímpia.

Em 2004, veio o tão sonhado grito de campeão. Comandado por Muricy Ramalho, o São Caetano, do artilheiro Fabrico Carvalho, derrotava o Paulista de Jundiaí no Pacaembu e conquistava o Paulistão.

Depois dos anos de bonança, veio a tempestade. Já não contando com o apoio da Prefeitura local, o São Caetano, que, mesmo vindo de campanhas brilhantes, jamais contou com uma grande massa de torcedores, começou a decair.

No momento, está na Série A2 do Campeonato Paulista e frequenta a quarta divisão do Campeonato Brasileiro.

O Bangu do Castor

O Rio de Janeiro também teve o seu chamado "Davi" do futebol brasileiro. Na década de80, o Bangu, sob a tutela do então chefe do "Jogo do Bicho" Castor de Andrade, deu uma de "penetra" na festa dos grandes. Em 1985, teve a sua melhor temporada, quando chegou à final do Campeonato Brasileiro, com a peculiaridade de ter lotado o Maracanã no jogo decisivo com as demais torcidas cariocas. Acabou derrotado, nos pênaltis,pelo Coritiba. Meses depois, outra decisão e nova frustração. Em um jogo polêmico, o Alvirrubro da Zona Oeste viu esvair a taça do Estadual, dessa vez para o Fluminense. Era o "fim de uma geração de ouro", onde brilhavam Mário Marques, Marinho, Ado, Claudio Adão e Arturzinho.

Com o falecimento de Castor em abril de 1997, o Bangu não conseguiu manter a sua força e, assim como Guarani e São Caetano, vive no ostracismo. No momento, disputa a Série A do Carioca sem quaisquer pretensão de títulos e ainda tenta confirmar a sua presença na Série D do Brasileirão.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo