Esta sexta traz um clima de saudosismo para quem é torcedor do Fluminense. Há exatos 32 anos, o Tricolor conquistava o segundo título do Campeonato Brasileiro de sua história. Em um Maracanã com público superior a 100 mil espectadores, o time das Laranjeiras, que, na ocasião, era dirigido por Carlos Alberto Parreira e contava, em seu elenco, com a dupla de atacantes Washington e Assis - o famoso Casal 20 (referência a um seriado que era exibido na TV Globo nos anos 80) -, além do paraguaio Romerito, garantia mais um troféu para o luxuoso salão de Álvaro Chaves ao empatar de 0 a 0 com o Vasco.

Publicidade
Publicidade

Em uma competição disputada por 41 equipes, o Flu realizou 26 jogos, obtendo 15 vitórias, 9 empates e sofrendo apenas duas derrotas, marcando 37 gols e vendo a sua rede ser balançada pelos adversários em 13 ocasiões.

Na primeira fase daquele Brasileirão, o Fluminense, em um grupo formado por cinco equipes (os cariocas enfrentaram Santos, Ferroviário/CE, ABC/RN e Confiança/SE), terminou a sua campanha na segunda posição. Logo em seguida, o Tricolor foi o melhor de uma chave contra São Paulo, Bahia e Goiás, repetindo o feito na terceira etapa, enfrentando, dessa vez, Portuguesa/SP, Santo André/SP e Operário/MS.

Publicidade

A partir das quartas de final, os jogos eram de ida e volta. O adversário, o Coritiba. Depois de um empate de 2 a 2 no Couto Pereira, o Flu não tomou conhecimento do Alviverde Paranaense e, com mais de 60 mil vozes apoiando no Maracanã, despachou o rival com sonoros 5 a 0.

Veio a semifinal e, para muitos, o primeiro grande teste. Do outro lado, estava o Corinthians, atual bicampeão paulista, contando, em seu elenco, com grandes craques (Sócrates e Casagrande, por exemplo) e que, na fase anterior, havia eliminado o Flamengo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Fluminense

Mesmo assim, com uma exibição de gala, considerada por Parreira, a partida mais próxima da perfeição de uma equipe de Futebol, o Fluminense, no Morumbi, praticamente selou a sua ida para a final ao derrotar o adversário por 2 a 0. Uma semana depois, novamente em um Maracanã lotado, a vaga foi confirmada com um empate sem gols.

Na decisão, o confronto era diante de um velho conhecido. Dono do ataque positivo, o Vasco chegava como favorito, mas, novamente, o Tricolor comprovou a sua força já no duelo de ida.

Escorando um cruzamento vindo da esquerda, Romerito assegurou a vitória de 1 a 0 e a vantagem do empate no clássico derradeiro. Em um domingo de inverno, o Fluminense levou alguns sustos, mas também ameaçou bastante a meta cruzmaltina. No final, um 0 a 0 inesquecível para uma geração de torcedores que, das arquibancadas, exaltava um grupo que soube honrar, naquele momento, "as três cores que traduzem tradição".

Time-Base: Paulo Victor, Aldo, Duílio, Ricardo Gomes e Branco; Jandir, Deley e Assis; Romerito, Washington e Tato.

Publicidade

Técnico: Carlos Alberto Parreira

Também atuaram com destaque Ricardo Lopes (goleiro), Leomir (volante), Renê (meia), Wilsinho (ponta-direita) e Paulinho (ponta-esquerda).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo