O meia teve que levar aquela conversa com o comandante Ricardo Gomes. O técnico não gostou de ter visto seu atleta envolvido em discussão com a torcida no jogo da última quinta-feira.

O clube acabou decidindo não dar nenhuma punição ao atleta. Porém, Octavio ficou no Rio de Janeiro e não viajou com o restante da delegação botafoguense para a Ilha do Retiro.

A razão?

Na ultima quinta-feira, num embate contra o Juazeirense, a noite não foi a mais feliz para o atleta, mesmo tendo participado do único gol da partida.

Após o gol, Octávio foi até a torcida e, através de gestos e berros, insultou a torcida, que já não vem morrendo de amores pelo jogador. O atleta, que poderia restabelecer uma boa relação com a torcida, acabou por desperdiçar a oportunidade e saiu vaiado do jogo. Ao término do jogo, colegas o cercaram e tentaram blindar Octávio, protegendo-o das ofensas que vinham da torcida.

O atleta conseguiu escapar da fúria da torcida, mas nada foi capaz de proteger o jogador da bronca de Ricardo Gomes.

No dia seguinte, sexta-feira, o jogador foi procurado pelo comandante e, durante longos 15 minutos antes do treino, Octávio teve que passar por um papo sério e um necessário puxão de orelhas.

Em entrevista, Ricardo Gomes expôs um pouco do teor da conversa. O técnico revelou que por Octávio ter apenas 22 anos, a pouca idade faz com que o atleta muitas vezes tenha uma atitude impetuosa. O técnico estendeu essa interpretação a outros atletas, citando outros nomes como Sassá e Gegê.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol

Na visão do comandante, punições não se fazem necessárias no momento, diz que conversou com o atleta expondo o ponto de vista de um técnico que se preocupa.

O técnico disse aos jornalistas que esses três jogadores são formados pelo grupo, e que hoje são identificados pelo Botafogo como atletas em pós-formação. O que vem a ser isso, são atletas capazes de entrar em campo e jogar com os profissionais, mas são atletas inexperientes e que precisam amadurecer.

O técnico falou que não se limitou a broncas, mas que quis revelar ao atleta durante a conversa o quanto é necessário buscar a tão requerida resiliência.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo