O juiz Michel Curi e Silva, titular da 1.ª. Vara da Fazenda Pública de Belo Horizonte, determinou a interdição do Estádio Independência que pertence ao América MG. A decisão foi baseada numa denúncia da 17.ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público. A Promotoria encaminhou Ação Civil Pública contendo acusações de improbidade administrativa e dano ao Tesouro Público Estadual na construção do novo Estádio Independência, ou Horto, como ficou conhecido nacionalmente após partidas realizadas pelo Atlético MG naquele local.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Conforme o Jornal Hoje em Dia, por conta disto, estão indisponíveis todos os bens dos ex-diretores do Departamento Estadual de Obras Públicas de MG até R$ 120 milhões.

O Horto só poderá ser reaberto após o América MG apresentar um cronograma relativo ao depósito judicial de parte da renda dos jogos que vierem a ser realizados no Estádio Independência.

Desta forma estaria assegurado eventual ressarcimento aos cofres do Governo Mineiro. Até que o requerido cronograma seja apresentado, o América fica proibido de realizar qualquer tipo de negociação envolvendo o Estádio do Horto. O juiz Michel Curi declarou que os réus causaram graves danos aos cofres do Tesouro Estadual para beneficiar o América com recursos públicos. O magistrado revela ainda que não houve planejamento na obra de construção do novo estádio que começou com uma previsão de R$ 46 milhões, mas terminou com um custo superior a R$ 150 milhões. 

Em contrapartida o PSDB mineiro, em cuja gestão o Independência foi reformado, divulgou através de nota oficial que o Horto teve sua capacidade ampliada de 10 mil para 25 mil pessoas e foi transformado numa Arena multiuso, sendo que estas alterações mudam o cronograma assim como o custo da obra.

Os melhores vídeos do dia

A nota do partido esclarece ainda que a Caixa Econômica Federal prometeu destinar R$ 30 milhões de reais para a construção do Independência, mas como o dinheiro não veio, a obra acabou sendo toda custeada pelo Governo de Minas Gerais. Para Paulo Lasmar, advogado do América MG, a decisão é absurda porque o Horto foi cedido a pedido do Governo de Minas sob o argumento de que iria reformar o local para ser utilizado pelos três maiores clubes de MG.

A medida atingirá diretamente o Atlético Mineiro, que elegeu o Horto como seu estádio preferido, sendo este considerado mítico pela sua torcida que criou até criou o slogan: "Caiu no Horto, tá morto." O clube conquistou vitórias memoráveis no Independência, principalmente nos anos de 2013-2014, e agora terá que sediar seus jogos em outro local, e está decisão terá que ser rápida. Já para a partida do próximo domingo no clássico contra o Cruzeiro, o Galo terá que decidir onde irá atuar. O regulamento da CBF estabelece que o clube tem até cinco dias para decidir onde irá mandar seus jogos. Até ontem, a direção do Atlético MG anunciava que jogaria no Horto e inclusive os ingressos para o jogo contra o Cruzeiro já estavam sendo colocados à venda.