Quatro jogos deram inicio a sexta rodada da série B. Disparadamente, o jogo de maior apelo era Bahia x Paysandu, na Fonte Nova. Duas torcidas gigantes em seus estados duelaram na bela noite de Salvador. Para o Bahia, dono da casa, a principal missão era voltar àboa fase e fazer seu dever de vencer sempre jogando seus domínios. Os baianos ainda resmungavam o 0x0 da última rodada diante do Náutico. Já o Paysandu, que vinha de uma goleada sofrida pelo modesto Tupi de Minas Gerais, precisavaprovar que aquilo não passou de um acidente de percurso.

O jogo começou e foi perceptível que o Paysandu tem uma defesa bastante frágil. O Bahia começou sufocando a defesa adversária, diante de um 'Papão' quase omisso que nada acertava. A única grande chance do Paysandu, no primeiro tempo, foi aos 8 minutos, quando a bola sobrou para Alexandro, e sem goleiro, ele a jogoupara fora e, aos 24 minutos, em uma cabeçada do zagueiro Domingues em cruzamento na área.

No mais só deu Bahia! Mesmo com a torcida empurrando, havia uma desconfiança de que o time voltasse a perder gols como na última rodada e não chegasse a balançar as redes. Desconfiança essa que se encerrou aos 35 minutos quando, depois de uma bola lançada na área e uma tentativa de corte da defesa do Paysandu, a bola sobra para Danilo Pires na pequena área que, de voleio, fuzilou as redes. Um golaço.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol

A torcida do Bahia foi ao topo da emoção. Já os jogadores do tricolor baiano a partir do gol começaram a ter mais calma, errar menos passes e dominar o jogo com mais clareza. O primeiro tempo terminou com grandes aplausos da torcida.

Chega o segundo tempo e tudo foi a continuidade do primeiro. O Paysandu, que poderia ameaçar uma reação, continuou preso em suas limitações, sobretudo por carecer de um jogador credenciador no meio de campo que segurasse a bola, enquanto o time se posicionasse de uma maneira mais agressiva, pouco fez durante a fase final.

Muita vontade, mas pouca qualidade. Com esta frase podemos resumir este Paysandu que já se preocupa com o rebaixamento mesmo no início da competição. Aos 17 do segundo tempo as coisas só pioravam para o Papão, a bola foi enfiada na área defensiva e Régis, jogador do Bahia, disputa a bola com o goleiro e é derrubado. Pênalti. Emerson goleiro do Paysandu recebe o segundo amarelo, sendo expulso. Hernani, com categoria, converte a penalidade fazendo 2x0.

Depois do gol, o Bahia aumenta ainda mais seu domínio. A velocidade do ataque do Bahia começou a ter inúmeros espaços, principalmente pelas laterais e algumas oportunidades foram desperdiçadas. A mais clara foi a de Regis, após um passe açucarado de Thiago Ribeiro, mesmo sem goleiro, o ex-palmeirense perde o gol, colocando a bola na trave. Já o Paysandu, mesmo valente, era um time “nocauteado” dentro de campo, esperando apenas o jogo terminar.

Mas ainda um novo castigo viria atingir a “surrada” defesa do papão. Um novo pênalti ocorre, agora marcado pelo goleiro Marcão em cima de Luzinho que tomou amarelo. Regis bate a penalidade e converte aos 41 minutos. Conta fechada! As pazes com o time e a torcida do Bahia foram feitas. O Bahia agora está no G4 e com muita confiança para seguir rumo à elite do futebol brasileiro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo