Na última semana o mundo foi pego de surpresa por uma notícia: Lionel Messi, um dos maiores jogadores de todos os tempos, anunciava que não jogaria mais pela seleção de seu país. Tudo isso aconteceu após o craque do Barcelona ser derrotado em mais uma final de campeonato com a camiseta da Argentina, quando o selecionado platino perdeu a final da Copa América Centenário, disputa nos Estados Unidos, para o Chile, em disputa de pênaltis. 

A estrela argentina, que divide o protagonismo do Futebol mundial ao longo da última década com o português Cristiano Ronaldo, perdeu uma das penalidades na disputa perdida por seu país. Lembrando que, em 2015, a Argentina também foi derrotada pelo Chile na final da Copa América, em edição realizada na casa dos campeões.

Após o jogo disputado em solo norte-americano, a estrela do Barcelona afirmou que aquele ambiente não era pra ele, e que aquele havia sido seu último jogo com a camiseta da Argentina. 

Nesta segunda-feira (04), uma semana após a declaração de Messi, Cristiano Ronaldo declarou o que achou da decisão do argentino: "Messi tomou uma decisão dura, temos que entendê-lo. Não está acostumado com decepções, nem em terminar como segundo colocado. Dói ver Messi chorando, e espero que volte a defender seu país", afirmou o craque português em entrevista ao jornal catalão Mundo Deportivo. 

Cristiano e Messi dividem o protagonismo das últimas temporadas do futebol Espanhol. Um defendendo a camiseta merengue do Real Madrid e, o outro, sendo o pilar forte dos selecionados vencedores do Barcelona. Atualmente, Ronaldo está ajudando Portugal em uma campanha acima da média na Eurocopa, que está sendo disputada na França.

Os melhores vídeos do dia

Na última quinta-feira (30), a seleção lusa venceu a Polônia pelas quartas de final da competição. Pelas semi, Cristiano e companhia enfrentarão País de Gales, seleção comandada pelo seu companheiro de clube, Gareth Bale. 

Além de Cristiano Ronaldo outros grandes nomes do futebol mundial, como o Rei Pelé, já manifestaram o seu desejo para que A Pulga - como é conhecido Messi - repense sua decisão.