Não passa um dia sem que o nome de Gabriel Jesus desponte nos cadernos de esportes ou em publicações especializadas em Futebol na Europa. O diário italiano Gazzetta dello Sport desta terça-feira (5) traz em sua capa a informação de que o atacante palmeirense está praticamente fechado para, a partir de janeiro, vestir a camisa da Inter de Milão.

No Palmeiras, é mantido o protocolo; ninguém fala em negociações sobre compra, troca, empréstimos ou venda de jogadores. O que o clube diz em referência às especulações é que não há pretensão de repassar sua jóia tão cedo assim, já que Jesus tem apenas 19 anos de idade.

Artilheiro do Brasileirão com 10 gols até aqui, o garoto, que levou o prêmio Revelação do Campeonato Brasileiro 2015, é também alvo do assédio de times espanhóis como Real Madrid e Barcelona, conforme notícias publicadas pelo jornal Sport, que chegou a mencionar uma disputa pesada entre os dois clubes para ter o atacante em seus elencos.

No último dia 21, Raul Sallenhí, diretor do Barcelona, esteve presente no Allianz Parque para assistir Gabriel Jesus marcar os dois gols do Palmeiras na vitória sobre o América-MG (2 a 0) pela disputa da 10ª rodada do nacional.

Apesar de dizer que não está nos planos do clube a venda de Gabriel Jesus, dificilmente o Palmeiras irá segurar o atleta diante de uma oferta tentadora. A multa do jogador está estipulada em 40 milhões de euros, mais de R$ 152 milhões. Porém, o Barcelona ou um de outros quatro europeus (Bayern, PSG, Manchester United e Real Madrid) poderão ficar com o atacante do Verdão pagando 'apenas' 24 milhões de euros - R$ 91,6 milhões - pela rescisão do contrato do atleta com a Sociedade Esportiva Palmeiras. O acordo estaria marcado para ser celebrado entre um dos cinco interessados e o Palmeiras logo após a realização dos Jogos Olímpicos.

Os melhores vídeos do dia

A Juventus e o Bayern, segundo informações dos periódicos esportivos europeus, já teriam demonstrado interesse pelo jogador Alviverde em conversas com seu agente, o empresário Cristiano Simões, dono de 32,5% dos direitos econômicos do atleta. Falando nisso, o Palmeiras detém 30%, 15% são do próprio atacante e outros 22,5% pertencem ao ex-empresário de Gabriel Jesus, Fábio Caran.

Com contrato vencendo em 2019, a promessa, que se tornou uma feliz realidade no Palmeiras, vem recebendo conselhos de companheiros e dirigentes do time para permanecer e não ceder ao assédio. Com dois anos a mais em sua idade, e em sua experiência profissional, certamente poderá render ainda mais. O difícil é projetar e adivinhar se, daqui há dois anos, o garoto estará brilhando como acontece em sua fase atual.