Anúncio
Anúncio

Nesta quinta-feira (21), a Corte Arbitral do Esporte (CAS) rejeitou o recurso do Comitê Olímpico Russo e de 68 desportistas da equipe de atletismo do país que solicitaram à entidade autorização para competir nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Com esse ato, a CAS ratificou a decisão da Federação Internacional de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), que suspendera a Rússia devido a descoberta de um grande esquema de doping, e manteve a equipe russa de atletismo fora da Rio 2016.

Assim que a decisão da CAS foi divulgada, o porta-voz do governo, Dimitri Peskov, tratou de expressar a sua insatisfação com o veredicto da entidade. Conforme foi publicado no site UOL, Peskov declarou que lamentava a decisão da CAS em punir todos os atletas da equipe de atletismo, pois, de acordo com o primeiro-ministro, ‘o princípio da responsabilidade coletiva é difícil de aceitar’.

Anúncio

O presidente da IAAF, Sebastian Coe, disse que o trabalho da entidade não ficará restrito a suspensão da equipe russa dos Jogos Olímpicos deste ano. De acordo com o corredor dos 800 e 1500m, a IAAF continuará trabalhando com a Rússia para que o atletismo do país fique livre dos programas de dopagem de atletas e, com isso, todos possam voltar a competir internacionalmente.

Esperança de liberação individual para alguns atletas

Apesar da CAS ter ratificado a decisão a IAAF, os atletas russos que não estavam envolvidos no escândalo de doping ainda têm uma esperança de competir nos Olimpíadas de 2016. O Comitê Olímpico Internacional (COI) informou que estudará os pedidos de desportistas russos da equipe de atletismo que desejam competir na Rio 2016 pela bandeira olímpica.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

Para que o recurso desses atletas seja aceito, eles terão os seus exames antidoping realizados fora da Rússia analisados minuciosamente.

Entre os desportistas que recorreram a essa alternativa, estão Yuliya Stepanova e Darya Klishina, respectivamente, atletas dos 800m e do salto em distância. No entanto, o pouco tempo que falta para a abertura dos Jogos Olímpicos (5 de agosto) pode complicar a aceitação do recurso das duas atletas.

Quem deve ficar mesmo de fora da Rio 2016 é Yelena Isinbayeva. A bicampeã olímpica do salto com vara já tinha declarado que gostaria de competir apenas pela bandeira da Rússia. Com a confirmação da suspensão da equipe de atletismo, dificilmente Isinbayeva defenderá o seu título no Rio de Janeiro. A atleta russa fez duras críticas a decisão da CAS e disse que a entidade ‘enterrou o atletismo’.

Anúncio

Escândalo pode ter envolvimento de agentes federais russos

O escândalo que acarretou na suspensão da equipe de atletismo da Rússia teve início após uma denúncia feita por Grigory Rodchenkov, ex-diretor do laboratório de antidoping de Moscou. Rodchenkov, junto com um funcionário da agência de controle de dopagem local, trouxeram a público um esquema de dopagem de atletas que envolvia 15 medalhistas nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi e desportistas da equipe de atletismo.

O incidente foi considerado ainda mais grave depois que surgiram relatos que o Serviço Federal de Segurança (ex-KGB) adulterou amostras de urina em um evento poliesportivo para que os atletas dopados não fossem pegos no exame antidoping. Também existem indícios que o Ministro dos Esportes da Rússia, Vitaly Mutko, encobriu alguns casos de doping de atletas russos.