Na tarde deste domingo (10), a seleção de Portugal (foto) foi a grande zebra na final da Eurocopa 2016. No estádio de Alvalade, a favorita seleção francesa foi superada pelo time de Cristiano Ronaldo, pelo placar de 1 a 0.

Ainda nos primeiros minutos da primeira etapa de jogo, Cristiano Ronaldo, a estrela do time de Portugal, recebeu uma entrada forte de seu adversário Payet, e teve que deixar o jogo.

O fato influenciou a postura de seus colegas, visivelmente abalados com a saída do melhor jogador do time, que também deixou o campo em lágrimas.

Apesar de estar do lado de fora, o português não deixou de acompanhar o jogo e incentivar seus colegas para buscar o resultado contra a seleção favorita da Euro, a França, que jogava em casa.

Griezmann, atacante que veio se destacando nos últimos jogos com a camisa da seleção francesa, não surpreendeu.

Jogou com monotonia e não incomodou o goleiro Rui Patricio. Este, por sua vez, realizou importantes defesas durante o jogo e foi eleito por futebolistas como um dos melhores em campo.

Com as duas seleções jogando no contra-ataque, sem arriscar muitos lances, o jogo ficou no 0 a 0 no tempo normal. Na prorrogação, Portugal buscou mais o ataque para tentar definir o jogo, uma postura inteligente, visto que a equipe não dispõe de bons batedores de pênalti.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol

Perto dos dez minutos do segundo tempo da prorrogação, o atacante português Éder recebeu uma bola fora da grande área, e na disputa com a defesa francesa, acabou usando a força e limpando a jogada. Éder teve tempo de olhar para o gol e ajeitar o corpo para chutar a bola, no canto direito do goleiro Lorris, que, para o desespero da torcida, não conseguiu fazer milagre. A bola entrou. A zebra estava concretizada: Portugal vencia a favorita seleção francesa, na sua própria casa.

A França até tentou buscar o empate, mas Portugal se fechou em seu campo de defesa e marcou muito bem os jogadores adversários. Gignac, atacante francês, acertou uma bola na trave, mas não passou disso.

Pouco tempo depois, o juiz apitou o final do jogo e decretou: em terras francesas, a festa foi portuguesa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo