Após o jogador Elias ter comparado a torcida da Fiel com a do Tricolor, a relação clube e torcida balançou. Aquilo que era uma bela união, tornou-se em uma relação fragmentada.

Dentro do Corinthians existem aqueles que tem se levantado censurando as queixas e reclamações dos torcedores, o mais recente a tomar essa postura foi o ex-dirigente do clube, Andrés. O ex-diretor concedeu uma entrevista para uma emissora esportiva, e nela ele teria demonstrado não somente a insatisfação para com os torcedores, como também revelou que o clube não irá atender o que tem sido pedido pela torcida, a saber a torcida pede um novo técnico.

O que foi dito por Andrés?

O ex-diretor falou que somente em último caso mudaria-se o treinador.

Errar uma substituição ou ter perdido um jogo não é razão para demitir. Na visão de Andrés, demitir Cristóvão Borges e buscar um novo treinador, faria com que o Corinthians regredisse no mínimo 10 anos. Para ele Cristóvão ainda tem muito para melhorar, avalia até aqui com um 6 ou 7, e brincou dizendo que quando ganhar o Campeonato Brasileiro será um 8, talvez um 9.

Em relação aos protestos feito pelos torcedores, especificamente o da última segunda-feira, Andrés foi direto e de forma dura falou sobre o assunto. Para Andrés os torcedores tem tido um comportamento ingrato. Ele questiona o fato de estarem desejando um resultado de uma hora para outra e indaga se a torcida não sabe que o time está sendo remontado.  Após oito atletas terem saído do clube, a diretoria contratou nove novos jogadores, fazendo com que os resultados cheguem com alguma demora.

Os melhores vídeos do dia

Mas na avaliação dele até que esta sendo bem rápido, visto que o time recém formado esteve na liderança e continua muito próximo do líder.

Andrés terminou a entrevista dizendo que a torcida tem que ter paciência, e entender que o Corinthians não precisa de centroavante e sim de gols, e esses virão com o tempo. Já Marquinhos Gabriel é um daqueles que faz o mea culpa, e entende que a torcida tem razão.  Agindo de forma dissonante com o clube, o jovem jogador concedeu uma coletiva nesta última quarta-feira e apontou as razões da queda de rendimento do time. A razão se dá devido ao coletivo não estar bem entrosado, para ele as qualidades técnicas individuais de cada jogador só irão surgir quando o coletivo estiver em sintonia. O jogador, sem se isentar de culpa, diz que até o momento ele não jogou tudo o que pode, reconheceu estar aquém do seu potencial e afirmou que outros encontram-se nessa mesma situação. O atleta diz que as reclamações tem fundamento, e que o time como um todo deve trabalhar para evoluir.