A ginástica teve um domingo feliz no solo masculino individual. Com a conquista de uma prata e um bronze, os meninosDiego Hypólito e Arthur Nory fizeram história para o Brasil nesta modalidade. Com belas apresentações na Arena Olímpica no Rio, Arthur, o novato de apenas 22 anos, competiu pela primeira vez nos Jogos e já saiu com o bronze no peito. Já Diego espantou o fantasma das duas últimas Olimpíadas, quando ele caiu nesse exercício, e levou a prata para casa.

O ouro ficou com Max Whitlock, da Grã-Bretanha.

Diego foi o primeiro atleta não militar que subiu ao pódio nessas Olimpíadas. Felipe Wu, que ganhou a prata no tiro, e os atletas do judô, Rafaela Silva que conquistou o ouro, Mayara Aguiar que ficou com o bronze, e Rafael Silva que também levou o bronze, fazem parte das Forças Armadas. O ginasta Nory também inclui o grupo, pois é da Aeronáutica.

As Finais da Ginástica

Os torcedores brasileiroscompareceram em peso para ajudarem os atletas da ginástica brasileira.

Diego Hypólito elevou seu grau de dificuldade no exercício partindo com uma nota mais alta e comum risco maior. Mesmo não tendo erros graves, ele não tirou a nota que queria para chegar ao ouro e ficou com 15,533 pontos. Foi possível ver ele dizendo ao seu treinador que a nota era mais baixa que o esperado.

O favorito ao primeiro lugar, o atleta KenzoShirai, do Japão, não realizou uma boa série, teve erros que tiraram suas chances de medalha, abrindo caminho para os brasileiros.

O técnico de Diego, Marcos Goto,comentou na TV Globo que o resultado é uma compensação do esforço deles. Segundo ele, Diego se preparou muito para osJogos. Para Goto, os atletas conseguiram se superar e provar para o país que se um competidor treinar seriamente e se dedicar, o resultado é uma medalha.

Arthur Nory, o jovem rapaz de 22 anos que ficou com o bronze, também executou bem a sua série. Ele que, junto com seu técnico, decidiu aumentar a dificuldade do exercício, que vinha treinando, para tentar uma medalha, provou que a estratégia foi acertada. Sua nota foi 15,433.

A superação de Diego Hypólito

Com uma técnica bem aplicada aos movimentos e a tática estratégica de partir com um alto grau de dificuldade, Diego conseguiu concluir sua prova sem erros e subir ao pódio olímpico com uma medalha de prata ao lado do colega, também brasileiro Arthur Nory, que ficou com o bronze no solo

Quando disputou as Olimpíadas de Pequim em 2008, Diego conseguiu ir para as finais, mas o atleta caiu sentado durante sua apresentação e acabou na sexta colocação.

Ele, que era candidato àmedalha em Pequim, não desistiu e foi para Londres também como favorito. No entanto, em 2012 ele nem conseguiu se classificar para as finais, pois sofreu uma queda frontal durante a realização do exercício.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo