O título brasileiro de 2015 parece ter sido o último vislubre de glórias para a Fiel Torcida corintiana por um bom tempo. A julgar pelo andar da carruagem alvinegra neste ano, tudo indica que o Corinthians passará em branco em 2016. Sem títulos, possivelmente sem vaga na Copa Libertadores e com muitas incertezas ao final desta temporada.

Com a quase concretizada saída de Elias, que deve voltar ao Sporting Lisboa de Portugal, o número de saídas de atletas do elenco principal, em apenas 8 meses, completa 15 nomes.

Publicidade
Publicidade

Muitas mudanças para um clube que procura por títulos. A diretoria do clube, comandada pelo presidente Roberto de Andrade, transformou o elenco do melhor time do país em um bando de jogadores homogêneos na mediocridade. A espinha dorsal da equipe que encantou o país em 2015 foi aniquilada. 

Deixaram o Parque S. Jorge desde o final do ano passado o lateral Edílson, os zagueiros Edu Dracena, Gil e Felipe; os meio campistas Ralf, Bruno Henrique, Jadson, Renato Augusto, Elias, e Marciel (Emprestado ao Cruzeiro); e os atacantes Vágner Love, Malcom, Luciano e André. Rildo, que está de saída do clube, completa a lista.

Publicidade

Quinze atletas, um time inteiro e mais alguns reservas. Dá a impressão que o 'Timão' virou corredor, passagem, ponte. Enquanto outros clubes, como Palmeiras, Flamengo e Atlético Mineiro seguram os principais nomes e buscam contratações, por qualquer trocado os empresários se arrumam no Corinthians. E a reposição tem sido em forma de incógnitas, como Gustavo e Jean, recentemente contratados. Desconhecidas e jovens promessas.

Além de jogadores, o clube também perdeu nomes importantes na parte de gestão como o gerente de Futebol Edu Gaspar, o preparador físico Bruno Maziotti, o auxiliar de Tite, Cléber Xavier, e o próprio técnico que hoje comanda a Seleção Brasileira.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Corinthians

Nas categorias de base, ao menos três diretores também deixaram o clube. O departamento de futebol do Corinthians atualmente tem profissionais acumulando funções em um momento de transição. O lado bom dos desmanches parece ter sido na parte financeira. É bom lembrar que o Corinthians perdeu em 2014 as rendas de arquibancadas pois precisa pagar pela Arena Corinthians. Uma receita que faz falta ao clube e que não parece ter sido coberta.

Quem tem sentido na pele a pressão da torcida com os resultados recentes é o substituto de Tite, o baiano Cristóvão Borges.

A arquibancada, que paga caro pelo ingresso, não aceita nada menos que um bom time, vitórias e títulos. E fica enfurecida com atuações péssimas e a falta de perspectiva do atual momento. A timidez nas contratações em 2015 e 2016 enfraqueceu o time, que foi terceiro colocado no Campeonato Paulista. Eliminado pelo Audax de Osasco nas semifinais. Na Copa Libertadores, o 'Timão' foi batido pelo Nacional do Uruguai, ainda pelas oitavas de final. A terceira colocação no Campeonato Brasileiro parece até muito, em vista do futebol fraco que tem sido apresentado pelo Corinthians, mas como culpar o técnico com uma diretoria dessas?

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo