Rafa está muito próximo de assinar pelo Benfica. Tal como informa o jornal “Record”, Luís Filipe Vieira já iniciou as conversações para a contratação do jovem talentoso português. Contudo, e tal como aconteceu com o rival FC Porto e o clube russo Zenit, o Sporting de Braga apenas aceita negociar a venda de Rafa caso um dos clubes chegue aos 20 milhões de euros da sua cláusula. Sabendo perfeitamente os detalhes do negócio para poder contar imediatamente com Rafa, o Benfica pode protagonizar um dos maiores desvios a um rival na história do Futebol português.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Por mais de um ano, muitos rumores de que Rafa Silva iria ser jogador do FC Porto estiveram presentes na mídia internacional, contudo, na hora da verdade, o clube portista não conseguiu fechar o tão desejado negócio, não tendo aceitado as condições apresentadas por António Salvador, presidente do Braga, para a venda de um dos jogadores portugueses mais promissores da atualidade.

Depois de também o Zenit, com o acordo praticamente fechado, não ter conseguido convencer o jogador, a verdade é que o Benfica, que tem acompanhado todos os incidentes com Rafa nos últimos meses, pode muito bem ser o clube que vai conseguir contar com o talento de Rafa Silva para a próxima temporada, que em Portugal já se inicia no próximo final de semana para a Supertaça portuguesa, um jogo que, coincidência ou não, vai juntar os dois clubes que estão negociando a venda do craque, Benfica e Sporting de Braga.

Nas redes sociais, muitos portistas garantem se sentir humilhados pela forma como o seu clube não conseguiu fechar o negócio, permitindo que o seu eterno rival possa protagonizar um dos maiores roubos de um jogador da história da Liga portuguesa, em uma altura em que a hegemonia benfiquista está mais evidente do que nunca.

Tendo conhecimento que bastará uma oferta de 20 milhões para oficializar a contratação, o Benfica apenas poderá estar esperando por mais uma venda substancial para não ter problemas financeiros para ofertar aquele que seria um valor histórico em Portugal.