Internacional e Santos jogaram ontem (8), à noite, no Beira-Rio, uma partida válida pela 23ª. rodada do Brasileirão 2016. Diante de um público superior a 34 mil pessoas, o Colorado venceu o jogo por 2x1, quebrando um jejum de dois meses sem vitórias no Brasileirão. 

Era um confronto entre duas equipes de muita tradição no futebol brasileiro, com muito equilíbrio e marcação dos dois times. O Santos abriu o marcador através de Ricardo Oliveira, após uma falha do lateral Gefferson, enquanto que o Colorado empatou quase ao final do primeiro tempo através do venezuelano Seijas num chute de fora da área que esbarrou num defensor santista, enganando o goleiro do Peixe. 

Tudo parecia transcorrer dentro da normalidade até que, aos 45 minutos do primeiro tempo, o árbitro Rodrigo Batista Raposo decide expulsar o meia Lucas Lima, do Santos, entendendo que o jogador estaria retardando a partida, ou fazendo "cera" como se diz no jargão do futebol.

Publicidade
Publicidade

O lance em questão ocorreu quando o camisa 10 do clube paulista foi cobrar o escanteio e, ao se aproximar da bola, deixou para que outro companheiro fizesse a cobrança. 

Para o árbitro, isso configurou a intenção do jogador santista de retardar o andamento da partida e aplicou o cartão amarelo para Lucas Lima, que já havia sido "amarelado" anteriormente, justamente por praticar o antijogo. Tendo dois cartões amarelos, não restou outra alternativa ao árbitro Rodrigo Batista que não fosse a expulsão do craque do Santos, que saiu de campo chorando.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Santos Sport Club Internacional

O Internacional acabou vencendo a partida por 2x1 e o lance da expulsão do Lucas Lima se transformou na polêmica do confronto. O presidente do Santos, Modesto Roma, muito irritado com a expulsão do seu jogador, em entrevista para a ESPN Brasil nesta sexta-feira (09) classificou o trio de arbitragem do jogo de "vagabundos" e "mal intencionados." O mandatário santista acrescentou que perdoa erro, mas não má intenção.

Modesto também reclamou de um pênalti não marcado a favor do Santos e da omissão do árbitro ao não punir os jogadores do Internacional que estavam fazendo "cera" quando o placar estava 2x1 para os colorados.

Publicidade

Já o presidente do Internacional, Vitório Piffero, também ouvido pela reportagem da ESPN Brasil sobre o assunto, se mostrou surpreso com a postura do mandatário santista, pois esse havia lhe confidenciado que estava satisfeito com a nova fórmula de sorteio da arbitragem no Brasileirão 2016. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo