A trigésima rodada do Brasileirão trouxe um novo tempero para o campeonato. Com líder e vice-líder em campo, estavam em jogo pontos importantes, cuja conquista ou perda poderiam definir muito do que esperar nesta reta final da disputa. Quem se deu melhor foi o Flamengo, que, jogando no Estádio Raulino de Oliveira, na cidade de Volta Redonda, superou o rival Fluminense por 2 a 1, chegando aos 60 pontos e diminuindo a distância para o Palmeiras para apenas um mísero ponto.

Já o Verdão viu sua gordura de vantagem ser lipoaspirada ao empatar com o Cruzeiro em 0 a 0, em partida disputada no Estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara.

Este jogo teve dois tempos distintos, com o time de Cuca dominando as ações nos primeiros 45 minutos, criando bastante e tendo chances claras de abrir o placar. Já no segundo, o Cruzeiro foi o senhor do jogo e só não marcou porque Zé Roberto, aos 18 minutos, com um carrinho sensacional, salvou uma bola improvável chutada pelo ex-palmeirense Robinho, que estava prestes a cruzar a linha fatal.

"Tivemos oportunidades claras até o último lance (do primeiro tempo). Jogamos bem e controlamos o adversário.

No segundo tempo, o Cruzeiro se fechou mais e jogou no contra-ataque. Não conseguimos ter iniciativa e, em alguns momentos, eles tiveram o contra-ataque", analisou Cuca ao final da partida.

Com o resultado “ruim” longe de sua casa, o Allianz Parque, o Palmeiras já vê o Flamengo colado no seu retrovisor e já não tem margem para errar. O Rubro-Negro soube se impor jogando como visitante no Raulino de Oliveira. Logo aos 12 minutos do primeiro tempo saiu na frente, com gol dado a Leandro Damião. No entanto, logo no início da segunda metade, com apenas dois minutos o Flu empatou com Marcos Júnior, depois de uma assistência de cabeça feita por Cícero.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Palmeiras Flamengo

No entanto, o Tricolor das Laranjeiras não teve forças para segurar o placar e viu Jorge fazer 2 a 1 para o Rubro-Negro.

O jogo seguiu em banho-maria, mas, aos 39 minutos, aconteceu o lance que vai ser alvo de discussão nas mesas-redondas esportivas e nas rodinhas de amigos. Henrique cabeceou para as redes, depois de uma falta batida da esquerda. O bandeirinha acusou o impedimento imediatamente. Inicialmente, o árbitro Sandro Meira Ricci, de Santa Catarina, anulou o gol; em seguida, confirmou; e, depois de uma confusão, anulou em definitivo o gol do Tricolor.

Anulou acertadamente, é fato, porque o gol foi irregular. No entanto, a decisão do juiz veio depois de provável influência externa. “Ele tinha de ter convicção. Ou dar ou não dar. Ele deu e depois voltou atrás”, reclamou o atacante Magno Alves.

O jogo só reiniciou seis minutos depois. Mas o Flu, embora tenha tido novas chances para empatar, não conseguiu seu intento. Perdeu o jogo e também a quinta colocação na tabela para Botafogo. Melhor para o Fla, que mantém vivo o sonho do título. “A gente tinha de entrar para vencer e vencemos.

A gente tem de pensar na gente, fazer a nossa parte e ver na frente o que acontecer”, ressaltou o flamenguista Marcelo Cirino. Já o atacante Fernandinho, que foi substituído por Cirino, resumiu um pouco do espírito rubro-negro: “Se não dá na técnica, dá na raça. E felizmente foi isso que aconteceu hoje”. O próximo jogo do Flamengo será domingo (16 de outubro) contra o desesperado Internacional, no Beira-Rio. Já o Palmeiras também pega no mesmo dia outro que luta para não cair, o Figueirense, no Orlando Scarpelli.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo