O Fla-Flu, pelo jeito, está longe de acabar. Visivelmente revoltado, o presidente do Tricolor das Laranjeiras, Peter Siemsen, em depoimento ao repórter Wilson Pimentel, da Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, confessou a intenção de pedir a anulação do clássico de quinta, disputado no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, que acabou com a vitória do Rubro-Negro pelo placar de 2 a 1.

"Foi uma verdadeira confusão e a decisão dele, sem dúvida, 13 minutos depois, aconteceu em cima de informações externas.

Publicidade
Publicidade

Essa partida, na minha opinião, tem de ser anulado e vamos pedir a anulação do jogo. Tomaremos todas as medidas e acredito, inclusive, que o árbitro deveria ser afastado em definitivo", explicou o dirigente, lembrando que existe jurisprudência para essa situação.

"Já vimos casos, como em 2013 quando um jogo foi anulado por causa disso e vamos trabalhar para comprovar, uma presunção muito forte, que houve interferência externa", completou Peter, que não foi ao jogo porque sua esposa se encontra internada desde a última sexta.

Publicidade

A reclamação do mandatário, ecoada pelos demais membros da diretoria, comissão técnica e jogadores do Fluminense veio aos 39 minutos do segundo tempo com a decisão de Sandro Meira Ricci em anular o gol de Henrique, que empataria o clássico carioca da 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para eles, o árbitro havia dado o tento, mas, devido a uma interferência externa (vídeo), o que não é permitido pela FIFA, voltou atrás na sua decisão.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
PaixãoPorFutebol Fluminense

Na saída do Raulino de Oliveira, o volante William Arão, do Flamengo, durante entrevista concedida ao canal fechado Fox Sports, confessou que ele e seus companheiros receberam informação de fora e foram pedir a anulação do gol de Henrique.

"De fato, a gente teve a informação porque foi estranho que ele (Sandro Meira Ricci) deu impedimento primeiro e, depois, voltou atrás. A gente tem que ressaltar a coragem do árbitro.

Estava todo mundo impedido e não tem o que falar", resumiu o camisa 5.

Com o resultado, o Fluminense permaneceu nos 46 pontos, mas, favorecido pela derrota do Atlético-PR (1 a 0 para o Grêmio, em Porto Alegre), segue em sexto lugar, dentro do grupo dos classificados para a Taça Libertadores de 2017. Na próxima segunda, recebe, no Giulite Coutinho, em Édson Passos, a partir das 20h (de Brasília), o São Paulo.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo