Depois de ser envolvida nos noticiários como um possível alvo de investigação da Operação Lava Jato, a Arena Corinthians deverá ser vistoriada, de acordo com determinação do Ministério Público de São Paulo. A ação, que ainda não tem data marcada, visa verificar se o estádio está apto a receber eventos esportivos e de outros tipos.

A arena está no centro de uma discussão desde o início da semana. Segundo reportagem publicada pela "Folha de São Paulo", existe o risco de um deslizamento no estacionamento do estádio, que poderia chegar até a Radial Leste, uma das avenidas mais movimentadas da região leste da cidade de São Paulo, por onde passam milhares de carros e ônibus todos os dias.

Ainda segundo a "Folha", o estádio, inaugurado em 2014, já sofreu com o vazamento de pelo menos 20 milhões de litros de água. Uma auditoria interna do Corinthians teria detectado que esse problema foi causador de um deslizamento na parte externa do estádio, no início deste ano.

Tanto o clube quanto a construtura, a Odebrecht, dizem que os problemas já foram resolvidos e que a Arena não oferece nenhum risco aos seus frequentadores.

Abaixo, nota do Ministério Público:

Ministério Público determina vistoria na Arena Corinthians

Tendo chegado ao conhecimento do Ministério Público que houve grande vazamento de água, com o aparecimento de buracos no piso de estacionamento e possibilidade de abalo das arquibancadas e deslizamento de terra na área externa do estádio Arena Corinthians, a Promotoria de Habitação e Urbanismo, diante da gravidade dos fatos noticiados, com risco à integridade das pessoas que o utilizam, e havendo a necessidade de se verificar se o local reúne condições de segurança para a realização de eventos esportivos e de natureza diversa, bem como a possibilidade do estádio continuar funcionando, determinou a realização de vistoria no local pelo Centro de Apoio Técnico à Execução, esclarecendo que já há inquérito civil em andamento em fase de realização de perícia das condições de infraestrutura do estádio.