Se depender do histórico, o Fluminense tem todos os motivos para encerrar, neste domingo (6), o jejum de cinco partidas sem vencer no Campeonato Brasileiro. Adversário das 17h (de Brasília), no Mineirão, o Cruzeiro é o chamado "freguês de carteirinha" da equipe das Laranjeiras. Contabilizando todos os torneios desde o primeiro encontro, ambos se enfrentaram em 74 ocasiões, com 33 vitórias do Tricolor e 23 da Raposa. Ainda houve 18 empates.

Para aumentar o otimismo de sua torcida, os cariocas venceram os dois confrontos diante do rival nesse ano.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal PaixãoPorFutebol

Pela fase de classificação da Copa da Primeira Liga, com três gols de Diego Souza (atualmente no Sport) e um de Gustavo Scarpa, o Flu, mesmo jogando fora de casa, aplicou 4 a 3 sobre o Cruzeiro.

O outro triunfo veio no primeiro turno do Brasileirão. Atuando no Giulite Coutinho, em Édson Passos, região metropolitana do Rio de Janeiro, o Tricolor derrotou os mineiros pelo placar de 2 a 0.

Durante entrevista concedida após o treino de sábado, realizado no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, Levir Culpi se mostrou surpreso ao tomar conhecimento desse retrospecto e torce para que ele continue sendo positivo para o Fluminense. "Obrigado pela força, mas não sei o que vai acontecer. É outro jogo, não acontecerá nada igual, será outro resultado, e tomara que se repita a vitória do Fluminense", declarou o comandante.

Mais do que continuar soberano diante do Cruzeiro, o Fluminense necessita da vitória para continuar firme na briga por um lugar no G-6 do Campeonato Brasileiro e, dessa forma, garantir presença na Taça Libertadores da América do ano que vem.

Os melhores vídeos do dia

No momento, ocupa o nono lugar na classificação da Série A, com 48 pontos, três a menos em relação ao Atlético-PR, sexto colocado.

Para deixar Belo Horizonte com os três pontos, o Tricolor, no entanto, não contará com o volante Pierre, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O seu substituto não foi definido, mas a tendência é que Édson ganhe uma oportunidade para formar dupla com Douglas. Existe, ainda, a possibilidade de Cícero ser recuado e o time venha com um trio ofensivo formado por Wellington, Richarlison e Marcos Júnior.