Para receber um busto no Palmeiras não basta ser craque e fazer história com a camisa do Verdão. Era preciso que o atleta homenageado nunca tivesse jogado contra o Palmeiras.

Mas toda regra tem a sua exceção e, desta vez, ela se chama Dudu. Olegário Tolói de Oliveira, ou simplesmente Dudu, foi um volante de muita técnica, porém, com um Futebol simples e eficaz, que atuou pelo Alviverde de 1964 a 1976 e conquistou nove títulos pelo clube. Formou o meio de campo histórico da Academia com Ademir da Guia.

Publicidade
Publicidade

E porque ele ainda não havia sido homenageado sendo um dos principais nomes da história do Verdão? A razão é que Dudu, no começo de carreira, jogou pela Ferroviária de Araraquara, enfrentando o Palmeiras, clube que brilharia no futuro.

Felizmente, a injustiça foi desfeita pelo presidente Paulo Nobre, na tarde desta segunda-feira, 7 de novembro, dia do 77º aniversário do próprio Dudu.

O volante está eternizado com um busto na entrada da sede social do Palmeiras.

Apenas seis atletas foram agraciados com tal honraria: Ademir da Guia, Waldemar Fiúme, Junqueira, Oberdan Cattani, Marcos e, agora, Dudu.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Palmeiras

Emoção

O ex-atleta não segurou a emoção durante a cerimônia: “Estou mais emocionado do que se tivesse que disputar um título pelo Palmeiras. Eu balancei hoje". Além do busto que ficará exposto a céu aberto, Dudu também recebeu uma réplica em miniatura da obra como recordação.

Compareceram à cerimônia Paulo Nobre, atual presidente, o seu sucessor Maurício Galiotte e os ídolos Ademir da Guia, Sérgio e Edu Bala.

Valorizando o passado vencedor

Uma característica da gestão do presidente Paulo Nobre foi valorizar os ex-jogadores que fizeram história no clube com diversas ações.

Publicidade

Em relação aos bustos, enquanto presidente, Nobre homenageou Marcos, Oberdan Cattani (logo após o falecimento do goleiro), e Dudu.

“O importante é homenagear e reconhecer aqueles jogadores que fizeram história no Palmeiras. O ideal é fazer enquanto estão vivos, mas, mesmo no caso do busto do Oberdan, o ex-goleiro foi informado da homenagem e até participou da confecção da obra. Foi uma pena ele ter falecido antes da cerimônia. Em compensação, sabemos que o busto o deixou muito feliz”, declarou Paulo Nobre.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo