A novela entre Palmeiras, WTorre e Allianz Parque ganhou mais um capítulo neste domingo, 13 de novembro. Em entrevista à Rádio Jovem Pan, o atual presidente do Verdão admitiu a possibilidade de compra do Allianz Parque, desde que a parceira decida vender a arena.

“Eu queria ter o tamanho que as pessoas acham que eu tenho, que com certeza já teria comprado o estádio. Não tenho condições. É claro que a compra deve passar pela parceira, que é detentora dos direitos de superfície pelos próximos 28 anos”, afirmou Nobre.

Publicidade
Publicidade

Porém, o dirigente não fechou as portas para a possibilidade: “Se eles realmente se propuserem a vender, eu posso tentar viabilizar com amigos do mercado financeiro criar alguma operação para tentar viabilizar a compra. O palmeirense é tão engajado, que se for para fazer alguma coisa, eu não duvido que o número chegaria a centenas de milhares de torcedores que contribuiriam para que a arena voltasse a ser do Palmeiras.

Publicidade

Mas, até hoje a sério mesmo eu nunca vi a parceria se manifestar que quer se desfazer do investimento e isto não passa de especulação”.

Durante a entrevista, especulou-se que o valor seria de R$ 600 milhões , valor que o próprio Paulo Nobre não confirmou. O dirigente ainda levantou a hipótese de que se houver o desejo de venda, deve-se aparecer outros pretendentes, devido ao tamanho do negócio.

Relação delicada

Não é de hoje que a relação entre o Palmeiras e a Wtorre, responsável pela construção e a administração da Allianz Arena, está azeda.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Palmeiras

Há vários momentos em que as partes se estranharam seriamente. O primeiro surgiu a partir da inauguração da Arena no final de 2014, quando as partes interessadas entraram em conflito em relação à comercialização de ingressos, questão que só foi definida recentemente. Há ainda controvérsia na transferência de valores definidos em contrato da administradora ao clube e vice-versa, que não estariam sendo realizados, sem contar as pequenas picuinhas, como a instalação de uma câmera para controle do camarote da diretoria do Palmeiras, que em contrapartida, tampou a lente desta câmara.

Shows e gramado

Outra briga antiga é em relação ao uso constante do estádio para a realização de grandes shows e eventos, impedindo que o time alviverde atue em casa em alguns momentos importantes dos campeonatos que disputa.

A situação fica ainda mais delicada quando com a realização destes grandes shows, o gramado do campo de jogo acaba ficando em condições muito ruins. Apesar da Wtorre negar, muitos acreditam no Palmeiras que a administradora tem economizado na manutenção do gramado, como uma forma de boicotar a diretoria e o próprio Paulo Nobre.

Publicidade

A situação do campo de jogo é tão delicada que muitos conselheiros do Verdão defendem a implantação de gramado sintético.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo