A semana mais triste do futebol nacional vive dilemas internos nos clubes que disputariam a última rodada do Brasileiro, em busca de uma vaga na Libertadores ou simplesmente, para se manter na primeira divisão.

O elenco do Internacional, do Rio Grande do Sul, veio a público dizer que não tem clima para jogar dia 11 de dezembro e sugeriu que todas as 10 partidas da 38ª rodada do Brasileirão, sejam canceladas.

Publicidade
Publicidade

A diretoria do time, entretanto, não compartilha do mesmo pensamento de seus jogadores. Possuindo apenas uma partida para evitar o rebaixamento, a diretoria afirma que o time vive sua própria tragédia particular.

Ibsen Pinheiro, que é diretor de futebol do clube gaúcho, disse que as palavras dos jogadores não representam o time, mas apenas a opinião pessoal de cada um deles. As palavras dos dirigentes foram duramente criticadas pela imprensa esportiva e por torcedores, tanto do Inter, quanto de outros clubes.

Imagem de partida entre Inter e Chapecoense pelo Brasileirão (Foto: Reprodução)
Imagem de partida entre Inter e Chapecoense pelo Brasileirão (Foto: Reprodução)

Apesar de ser compreensível que nenhum time queira ser rebaixado, não só por uma questão esportiva, mas também pelo ponto de vista financeiro, é nítido que não há mais clima para futebol em 2016. O que aconteceu na última terça-feira, 29, não foi um carrinho violento que gerou uma lesão grave em um craque do campeonato, mas sim um acidente que impediu que homens de carreira promissória, prosseguissem com seus sonhos.

A solidariedade é tamanha que times grandes se ofereceram para emprestar jogadores, gratuitamente, para a Chapecoense disputar os campeonatos do próximo ano.

Publicidade

As propostas, entretanto, ainda são vistas com cautela pelos dirigentes da Chapecoense. Eles agradecem o apoio, mas dizem que agora precisam viver o momento do luto, para depois pensar na questão esportiva. O clube começou os tramites para indenizar os familiares dos jogadores, que devem receber pelo menos 12 meses de salário dos atletas e demais funcionários da equipe.

Já os dirigentes do Inter, não se pronunciaram após o posicionamento que gerou tamanha polêmica.

O problema é que muita gente desinformada está usando a internet para difamar os jogadores do elenco e a própria história do clube, sendo que os únicos responsáveis pela polêmica, são seus dirigentes.

Quanto ao Brasileirão, muitos clubes já cogitaram a hipótese de não jogar a última partida, como o Figueirense, já rebaixado e o Atlético Mineiro, que emitiu um comunicado oficial para a CBF, afirmando que não jogará contra a Chapecoense. O problema das possíveis partidas encerradas por W.O.

Publicidade

é o regulamento protocolar do Brasileirão, que pune equipes que não comparecem aos jogos com multa e até exclusão do campeonato brasileiro.

Ao que tudo indica, mesmo com as desistências de algumas equipes, a rodada deve acontecer, nem que seja para a arbitragem determinar W.O. A dúvida que fica é: será que em tamanho evento de força maior, a CBF não irá abrir mão dessas punições? Se São Paulo, Palmeiras, Santos e Corinthians conseguiram colocar uma das maiores rivalidades do futebol, de lado, para oferecer ajuda à Chapecoense, porque a Confederação não abriria uma exceção?

Publicidade

A resposta será descoberta nos próximos dias, mas pelo sim ou pelo não, uma coisa é certa: seja qual for o seu time de coração, essa tragédia nos tornou um pouco Chape e Atlético Nacional e como diz o grande comentarista esportivo, Milton Neves: ‘Descobri que sou Chape e Atlético Nacional desde criancinha’.

Leia tudo