Anúncio
Anúncio

Com uma carreira marcada por episódios de brigas e suspensões, Luís Fabiano não poderia passar em branco também no Vasco. O jogador protagonizou uma cena bizarra junto ao árbitro Luís Antônio Silva dos Santos: ele peitou o juiz, que valorizou a agressão e saiu espalhafatosamente se jogando para trás. Esse choque culminou na expulsão do jogador. Além de prejudicar o time da colina na final diante do Flamengo, ele agora desfalca o time na reta final do Carioca.

Nesta segunda-feira, após três horas de julgamento, o atacante, por unanimidade, foi suspenso por quatro partidas pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). O Cruz-Maltino vai entrar com recurso e tentar efeito suspensivo - o prazo é de três dias - para que o jogador atue contra o Rubro-Negro no próximo sábado, pela semifinal da Taça Rio.

Jogador deixa o julgamento

Antes mesmo de ouvir a sentença, o Fabuloso deixou o local onde foi realizada a audiência, no Centro do Rio de Janeiro, acompanhado de Andrezinho, meia do Vasco que foi testemunha de defesa do atacante.

Anúncio

A saída deles aconteceu após os dois primeiros votos indicarem suspensão de quatro jogos ao atacante.

A tentativa da defesa foi de desqualificar o cartão do árbitro, tendo em vista a grande encenação que o mesmo fez. Os advogados classificaram como "mambembe" e "espalhafatosa" a reação do árbitro. O Fabuloso foi denunciado em três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: 250 (ato hostil), 258 (conduta contrária à ética desportiva) e 243-F (ofender a honra do árbitro). As penas poderiam chegar a 15 jogos de suspensão, se fossem somadas, além de multa entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Punição

Luís Fabiano foi punido com dois jogos no artigo 250 e mais dois jogos pelo artigo 258. Mas escapou de punição no artigo 243-F.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

O relator absolveu o jogador e disse que não viu ofensa ao árbitro no lance. Também foi absolvido pelas supostas palmas que bateu ao sair de campo, dizendo não haver provas de que ele foi irônico.

O árbitro Luís Antônio Silva dos Santos e Marcelo Viana, diretor de competições da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), também estiveram presentes para depor.