Ainda no calor da discussões em torno das negociações do atacante Richarlison, Palmeiras e Fluminense se enfrentam neste sábado (10), às 16 horas, no Allianz Parque, pela abertura da sexta rodada do Campeonato Brasileiro. O jogador pivô da polêmica pediu para não jogar, o que irritou a diretoria carioca e apimentou ainda mais o duelo, que já prometia não ser dos mais calmos.

Há quatro jogos sem vencer – e também com seu ataque passando em branco – o Palmeiras busca sua recuperação, para não correr o risco de visitar a zona do rebaixamento.

Publicidade
Publicidade

Para este duelo, o técnico Cuca não poderá contar com Dudu, recuperando sua melhor forma física, além de Mina e Borja, que estão a serviço de suas seleções. Guerra pode ser a novidade na equipe. Assim, o time que começará jogando deverá ter Fernando Prass no gol, a defesa formada por Jean (ou Fabiano), Edu Dracena, Juninho e Zé Roberto; no meio Thiago Santos, Tchê Tchê, Felipe Melo e Guerra. Keno e Willian serão os homens de frente.

A data FIFA também desfalcou o Fluminense, uma vez que o time não poderá contar com Orejuela, que está com a seleção do Equador, além de Richarlison, que alegou não estar em condições psicológicas de atuar, por conta de tudo que envolveu seu nome no final da semana.

Jogo abrirá a sexta rodada do Brasileirão
Jogo abrirá a sexta rodada do Brasileirão

Outro que está fora é Renato, que sofreu um corte no pé direito.

Com todos esses problemas, Abel Braga deverá escalar o Fluminense da seguinte forma: Júlio César será o goleiro, Lucas e Lé nas laterais, com Henrique e Reginaldo fazendo a dupla de zaga. Luiz Fernando, Wendel e Scarpa no meio de campo. Mais avançados, Marcos Junior, Matheus Alessandro ou Marquinhos e Henrique Ceifador.

Negociações encerradas

Irritado com o pedido de Richarlison para não entrar em campo contra o Palmeiras, o presidente do Fluminense, Pedro Abad, encerrou qualquer tipo de conversa sobre o jogador.

Publicidade

Ele revelou que, na terça-feira (6), havia recebido alguns representantes para tratar da negociação com o atleta, mas disse que só conversaria após o jogo deste sábado e que, na sexta-feira, foi surpreendido com o pedido do atacante.

Abad disse que Richarlison é um jogador de grupo e que certamente foi influenciado por terceiros. Ele achou muito estranho que uma proposta dessa natureza tenha surgido justamente na semana do jogo contra o Palmeiras e preferiu dar como encerrada qualquer tipo de negociação “O Richarlison continua no Fluminense, essa negociação a gente dá absolutamente por encerrada”, cravou.

Leia tudo e assista ao vídeo