O Palmeiras ainda não deixou o Mercado da bola e dificilmente fará isso tão cedo. Focado na conquista da Copa Libertadores 2017, o Alviverde está disposto a lutar bastante pelos seus interesses. O volante Bruno Henrique é o novo reforço do clube alviverde e até já postou um vídeo nas redes sociais comentando sobre o negócio.

O ex-corintiano deve substituir Felipe Melo e brigar com Thiago Santos pela vaga. Melo passou por cirurgia na mão e deve voltar entre quatro e seis semanas.

Falta um atacante. Pelo menos é o que deixa claro o técnico Cuca em suas entrevistas coletivas. O torcedor palmeirense também sente falta de uma referência no ataque, já que Miguel Borja, que veio do Atlético Nacional, da Colômbia, como grande reforço, ainda não desencantou.

Aliás Borja é uma preocupação grande de Cuca, que está fazendo um trabalho especial de adaptação com o colombiano. A diretoria não quer nem imaginar que ele pode não vai virar no time principalmente por conta dos valores envolvidos na transação. Além da questão financeira, o Palmeiras se esforçou bastante para confirmar o negócio.

No ataque?

O diretor de Futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, atacou para cima de Richarlison, do Fluminense. As conversas com os empresários do atleta, porém, pegaram mal nas Laranjeiras.

Primeiro porque o início do negócio aconteceu um dia antes do duelo contra o próprio Palmeiras, no Allianz Parque. Richarlison informou ao técnico Abel Braga que não teria condições psicológicas de enfrentar o adversário e pediu para não viajar. Segundo que o Palmeiras quis tudo muito rápido, deixando a diretoria tricolor um pouco atordoada.

Os melhores vídeos do dia

Depois de receber a negativa do time carioca, o Palmeiras mudou a estratégia. A diplomacia entrou em jogo desta vez. Genaro Marino, vice-presidente do clube paulista, viajou para Assunção, no Paraguai, para acompanhar o sorteio da Libertadores. Ao seu lado viajou Cacá Cardoso, vice do Fluminense.

Durante o voo, ambos conversaram bastante sobre o negócio, mas não chegaram em um acordo. Marino insistiu que o Palmeiras não quis de forma nenhuma prejudicar o Fluminense, mas a situação não ajudou muito.

Assim que desembarcou, Cardoso foi enfático mais uma vez e dizer que não tem negócio e que Richarlison vai enfrentar o Grêmio, nesta quinta-feira (15), pelo Campeonato Brasileiro. De acordo com o portal Globo Esporte, o Alviverde está disposto até em aumentar a proposta, chegando a praticamente R$ 40 milhões.

O valor é considerado alto para os padrões brasileiros. Tanto que se o negócio for confirmado, será a transação mais cara do futebol nacional entre clubes brasileiros.