O Manchester City estaria disposto a pagar a cláusula de rescisão do craque Lionel Messi, do Barcelona, no valor de 300 milhões de euros (aproximadamente R$ 1,1 bilhão). Caso se concretize a transferência, passaria a ser a maior de todos os tempos, deixando a ida de Neymar para o Paris Saint-Germain na segunda posição entre as maiores. Ainda que seja algo difícil de imaginar, não é impossível que Messi deixe o clube catalão ainda nesta janela que vai até o dia 31 de agosto.

O Barcelona [VIDEO] havia anunciado a renovação do argentino no dia 5 de junho. No entanto, o vice-presidente esportivo do Barcelona, Jordi Mestre, admitiu nesta quinta-feira (17), que até o momento o jogador não assinou o novo contrato.

"Já conversamos e concordamos. Estamos esperando marcar uma data para a assinatura. A princípio está tudo certo. Só falta a assinatura", afirmou o dirigente. O vice-presidente também havia garantido "aos 200%" que Neymar não deixaria o clube. "A renovação de Messi é um tema que está muito claro e que estamos trabalhando há muito tempo. Tudo está indo bem e me surpreenderia muito se não concluirmos essa assinatura", insistiu Mestre.

Lionel Messi estaria insatisfeito no Barcelona após a saída de Neymar. A situação do jogador é complicada diante dos problemas que o clube tem enfrentado. Após a venda do brasileiro, os catalães acabaram derrotados pelo Real Madrid na Supercopa da Espanha, o que acabou afundando o time na crise. Torcedores do clube blaugraná pediram a saída do presidente Josep MariaBartolomeu com a hashtag #BartomeuDimiteYa.

O ex-presidente do Barcelona, Joan Laporta, aproveitou a especulação para pedir a saída do rival. "Se querem que Messi continue a gostar do Barça têm de por Bartomeu fora imediatamente", publicou em seu perfil no twitter.

Na outra ponta, a imprensa inglesa destaca que o Manchester City está confiante na negociação. Em junho, o clube inglês chegou a fazer uma oferta salarial no valor de 187 mil euros por dia (aproximadamente R$ 800 mil por dia). O jornal britânico "The Sun" chegou a cogitar na época a participação do New York City (da Major League Soccer) no negócio. O time americano, parceiro dos "Citizens", injetaria mais R$ 150 milhões para contribuir.

O jornal espanhol "Mundo Deportivo", chegou a informar que o argentino quase foi parar nos "Sky Blues" na última temporada. O motivo seria a ótima relação entre o astro e o treinador Pep Guardiola - que comandou Messi no Barcelona e gostaria de levá-lo para atuar na Premier League.

Em tempo, os torcedores do Manchester City, que estão de olho nas redes sociais, descobriram que Léo está seguindo o clube inglês no Instagram. De todos os clubes, o argentino também segue o Barcelona e o Chelsea. Outro fator que agrada aos fãs é o fato de Khaldoon Al Mubarak, presidente do clube, ter dito em entrevista recente que faria a maior negociação da história do futebol até o encerramento da atual janela de transferências. Agora só nos resta aguardar os próximos episódios.