O técnico Jair Ventura tinha uma das maiores chances de mostrar uma estratégia de jogo e conseguir se classificar para a grande final da Copa do Brasil e enfrentar o Cruzeiro. Porém, as coisas não saíram muito bem e o time de Reinaldo Rueda conseguiu a vitória no Maracanã lotado e foi para mais uma final da Copa do Brasil.

Em uma partida muito estratégica, o time ficou atrás e não quis jogar Futebol. Por conta disso, as chances de gol foram muito poucas e Roger praticamente não viu a cor da bola. Após a partida, ele mesmo admitiu a falta de ofensividade, afirmando que faltou agredir mais o Flamengo e criar mais jogadas.

Errou no primeiro jogo

O primeiro jogo da final era a chance do Botafogo sair com um resultado positivo, já que estava cercado de milhares de botafoguenses apoiando uma equipe que estava em crise. A estratégia foi péssima, não partiu para cima e deixou tudo para a grande final, onde o Flamengo só precisaria uma vitória simples, em um Maracanã lotado, para conseguir ir para a final.

Chutões

Com vários chutões, praticamente esperando uma jogada na área que resultasse em gols, o time perdeu muitas oportunidades de ataque. Com pouca posse de bola e poucos chutes ao gol, o Botafogo parecia que não estava em busca de uma vaga na final.

À espera dos pênaltis

Nos pênaltis, o Botafogo estava garantido porque tinha Gatito, um goleiro que poderia fazer a diferença. Conforme o jogo foi passando, o que se entendia era que o alvinegro já estava conformado com a disputa nas penalidades [VIDEO].

Rueda colocou na roda

Time em crise, fechou a casinha, poucas chances de gol e buscou o empate fora de casa. Precisando somente de uma vitória, tomou novamente cuidados defensivos e deixou os seus principais jogadores à vontade.

O que Jair deveria ter feito?

Como eram 180 minutos de jogo, a primeira partida [VIDEO]era de suma importância. O jogo contra o Nacional mostrou isso, o alvinegro partiu para cima e conseguiu fazer o gol, esperou e ficou em uma situação tranquila. ''Jogos de mata-mata, se consegue a vaga no primeiro jogo'', não tem outra explicação, o primeiro jogo era para ter um resultado positivo, uma vitória, mesmo que seja por 1 a 0.

O que vimos em campo foi um time com chutões, cercou, cercou e não machucou. Não tomar gols fora de casa e decidir em casa, com o Maracanã lotado? O Flamengo não poderia ter outro cenário melhor.

No segundo jogo, novamente, o gol era o momento mais importante, porém, o time fez da mesma forma, chutou para longe, cercou e não agrediu, tomou o gol e viu o sonho do título chegar ao fim.