O ex-jogador Edílson deixou a prisão no inicio da noite desta sexta-feira (18), em Salvador, na Bahia [VIDEO], após ter passado quatro dias detido em razão de atrasos no pagamento de pensão alimentícia [VIDEO]. Ele havia passado os dois últimos dias no Complexo Penitenciário da Mata Escura, local para onde foi levado após ter passado as duas primeiras noites na Coordenadoria de Polícia Interestadual (Polinter).

Seu advogado informou que houve um acordo entre as partes. O desde quando pendurou as chuteiras, o ex-jogador tenta reduzir o valor cobrando por pensão, que atualmente está estipulado em 10 salários mínimos.

E não são apenas problemas com pagamento de pensão a um de seus filhos que tem dado dor de cabeça ao pentacampeão.

Ele também foi notificado pelo Tribunal Regional do Trabalho em razão de dívidas trabalhistas de uma empresa que tinha com familiares, a ED10. Os valores variam entre 8 a 10 milhões de acordo com o TRT.

Em 2015, ele também foi alvo de uma investigação feita pela Polícia Federal. Ele era suspeito de fazer parte de um esquema de fraudes no pagamento de prêmios de loterias da Caixa. Na época, o ex-jogador negou as acusações.

Entenda o caso

Edílson foi detido na tarde da última terça-feira (15), quando estava em um shopping da capital baiana por conta de dívidas de pensão, cujos valores não foram revelados. Ele foi encaminhado a Coordenadoria de Polícia Interestadual (Polinter), onde passou as duas primeiras noites e depois levado até Complexo Penitenciário da Mata Escura.

Ele já tinha sido detido outras duas vezes pelo mesmo motivo, a primeira delas em 2014, também em Salvador.

Na época, ele deixou a cadeia após o pagamento em juízo de cerca de 102 mil reais. Para conseguir juntar o montante ele contou com a ajuda de amigos, como o também ex-jogador Vampeta, que fez uma vaquinha entre amigos em comum para arrecadar o dinheiro.

No ano passado, ele voltou a ser preso, em Brasília, em razão de uma dívida de 430 mil reais. Daquela vez, ele ficou dez dias detido e foi colocado em liberdade após o pagamento de três meses de pensão atrasados.

Edílson começou a carreira em 1987 pelo Industrial do Espírito Santo. Depois passou por Tanabi, clube do interior de São Paulo, mas apareceu mesmo no Guarani de Campinas. Suas atuações pelo Bugre chamaram a atenção do Palmeiras, que na época patrocinado pela Parmalat, o contratou para formar um esquadrão com Evair, Edmundo e Zinho. Também jogou pelo Corinthians, onde foi duas vezes campeão brasileiro, Flamengo, Cruzeiro, São Caetano e Brasiliense. Em 2002 foi campeão do mundo com a Seleção Brasileira.