O Palmeiras vive momentos difíceis atualmente, tanto dentro do campo como fora. Isso se dá pelo fato que a equipe não conseguiu êxito em nenhuma competição neste ano, ao contrário do ano passado, quando o Verdão conquistou o eneacampeonato brasileiro e, por consequência, acabou se tornando um dos favoritos para conquistar a Copa Libertadores da América de 2017. Porém, foi a terceira competição que o Alviverde paulista foi eliminado no ano, desta vez nas oitavas de final, em uma disputa de pênaltis contra o Barcelona, do Equador, e dentro do estádio do Palmeiras, o Allianz Parque.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Prestes a completar 103 anos de existência [VIDEO], o novo presidente do clube, Maurício Galiotte, irá completar o primeiro aniversário do Verdão no comando da Sociedade Esportiva Palmeiras, mas é muito criticado e cobrado pelos sócio torcedores, os quais gostam muito da gestão passada.

Volta do ídolo

O ex-presidente do Palmeiras Paulo Nobre é o grande nome que deseja retornar ao comando do Verdão. O empresário é tratado por boa parte da torcida como um ídolo. Isso se dá pelo fato que em sua gestão a equipe foi muito vitoriosa, e muitos afirmam que Paulo Nobre consegue colocar ordem na diretoria do Verdão e criar um ambiente estável, ao contrário do muito criticado Galiotte, que deixou muitas vezes a responsabilidade com o diretor de Futebol Alexandre Mattos.

Paulo Nobre deseja se candidatar para ser presidente do Palmeiras no ano de 2018, tendo apoio, inclusive, dos atuais vice-presidentes do Verdão, o que acaba irritando muito o atual presidente Maurício Galiotte, que deve tentar a reeleição. Porém, a atual administração gastou muito dinheiro com contratações e acabou não ganhando algum título nesta temporada e conquistar um é complicado.

Isso pelo fato do Campeonato Brasileiro [VIDEO] ter o Corinthians liderando com certa folga, e até o momento Galiotte não cogita um título brasileiro, mas, sim, uma possível classificação para a Libertadores da América do ano que vem.

Este objetivo traçado pelo presidente Galiotte foi muito criticado pelos torcedores, que gostariam que o time brigasse pelo título brasileiro, até porque a equipe é a que recebe o maior patrocínio da América do Sul através da Crefisa, tendo um investimento comparado a alguns clubes europeus. A diretoria trouxe jogadores campões da Libertadores e acabou não conseguindo êxito na mesma competição. Diante dessa situação, a chance da volta de Paulo Nobre aumenta.