O Palmeiras vive um momento de reconstrução. O técnico Cuca tenta formar um time titular com o elenco que tem. Desde que retornou ao comando da equipe, o treinador não conseguiu alcançar esse objetivo para disputar as competições em que a equipe estava classificada neste ano. Este é o motivo para três eliminações já terem acontecido. A primeira foi no Campeonato Paulista, ainda com o comando de Eduardo Baptista. Com o comando de Cuca, acontecerem as outras duas eliminações: a Copa do Brasil e a mais importante de todas, a Copa Libertadores da América de 2017.

Sobre a eliminação da Libertadores, vale um resumo: este foi um campeonato do qual a equipe foi eliminada em uma disputa de pênaltis contra o Barcelona, do Equador, sendo que, na primeira partida, houve uma derrota do Verdão para o time equatoriano por 1x0 e, no jogo de volta, já na casa do Palmeiras, no Allianz Parque [VIDEO], o resultado se repetiu, mas agora a favor do alviverde da capital, que acabou não conseguindo reverter nas penalidades máximas por conta de alguns jogadores que erraram.

Jogador que erra pênalti vai para reserva

O lateral esquerdo do Verdão, Egídio, optou por bater o último e mais decisivo pênalti, pois se o jogador errasse aquele estaria fora da competição de uma vez por todas e só poderia disputar no ano que vem. Mas o lateral acabou errando, e o goleiro adversário defendeu um chute mal colocado em sua esquerda. Em seguida, uma chuva de críticas veio ao lateral e também muitos elogios pelo fato de ele ter tido a coragem de bater um pênalti tão decisivo para a equipe na temporada.

Após isso, os jornalistas afirmaram que Egídio não deveria ser punido pelo treinador por ter errado o pênalti, mas quem deveria ficar na reserva seria Deyverson, atacante que tem grande bagagem em competições internacionais [VIDEO] que se negou a bater o pênalti na hora que a equipe mais precisava de sua habilidade em jogo.

Quem ganha espaço?

Quem ganha espaço no lugar de Egídio é o volante Michel Bastos, que deve jogar na lateral esquerda, posição que não é a sua de costume. O meia já assumiu que prefere jogar mais adiantado, porém, se o treinador desejar usá-lo na lateral, ele dará o seu máximo em campo. O próprio Egídio também não é lateral de origem, sendo o único nesta posição – a lateral esquerda do Palmeiras – o Zé Roberto, jogador que não tem mais disposição para atuar em 90 minutos completos para auxiliar a equipe. Por essa razão, a diretoria vinha buscando um novo lateral, mas não obteve êxito.