Jon Jones foi flagrado no exame antidoping realizado para luta contra Daniel Cormier, quando recuperou o cinturão do peso meio-pesado do UFC. O lutador testou positivo para turinabol, substância geralmente utilizada para ganhos extras de massa muscular.

A USADA, Agência Antidoping dos EUA, encontrou uma violação no exame do atleta na véspera do UFC 214, que ocorreu no dia 29 de julho, e que terminou com vitória de Jones por nocaute no terceiro round de luta contra o até então campeão, Daniel Cormier.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

O UFC, como já é de praxe, suspendeu Jon Jones do evento e deve nas próximas horas oficializar a remoção do titulo meio-pesado, que deve ser colocado em disputa novamente.

O UFC divulgou uma nota sobre o caso, conforme a seguir:

"O UFC foi notificado nesta terça-feira que a USADA (Agência Americana Antidoping) informou Jon Jones sobre uma possível violação da política antidopagem derivada de uma amostra coletada após a sua pesagem em 28 de julho de 2017.

A USADA, administradora independente da Política antidopagem do UFC, será responsável pela gestão dos resultados e a adjudicação apropriada deste caso envolvendo Jones, em conexão com a Política Antidopagem do UFC e a futura participação do UFC. De acordo com a Política Antidopagem do UFC, existe um processo legal completo e justo que é concedido a todos os atletas antes de serem impostas quaisquer sanções. A Comissão Atlética do Estado da Califórnia (CSAC) também mantém a jurisdição sobre este assunto, uma vez que a coleta de amostras foi realizada no dia anterior da luta de Jones no UFC 214, em Anaheim. O Estado da Califórnia e a USADA trabalharão para garantir que o CSAC tenha as informações necessárias para determinar o julgamento adequado da possível violação da política antidoping de Jones.

Informações adicionais serão fornecidas no momento apropriado à medida em que o processo avançar."

A equipe de Jon Jones também se manisfestou dizendo:

"Nós estamos todos completamente sem palavras agora. Jon, seus treinadores, seus nutricionistas e seu camp inteiro trabalharam incansavelmente e meticulosamente nos últimos 12 meses para evitar esta exata situação. Estamos recebendo as amostras testadas de novo para determinar a validade ou fonte de contaminação. Jon está arrasado com esta notícia e estamos fazendo tudo que podemos como um time para apoiá-lo"

Ex campeão da categoria e que foi derrotado por Jon Jones na luta em ocasião lamentou o ocorrido:

"É difícil encontrar palavras para descrever como me sinto agora. Estou desapontado por ouvir a notícia. Nós, como atletas, temos direito ao processo devido e vou me abster de dizer muito mais até eu saber exatamente o que aconteceu. Na minha cabeça, no dia 29 de julho, eu competi e perdi. Achei que Jon Jones foi o melhor homem naquele dia. Não sei o que pensar mais. Não posso acreditar que nós vamos passar por tudo isso de novo. Vamos ver o que acontece. Obrigado a todos os meus fãs que me apoiaram durante este tempo obscuro. Amo muito todos vocês"

Essa não é a primeira vez que Jon Jones é pego no exame antidoping.

No ano de 2015, ele foi flagrado fazendo uso de cocaína. Já em 2016, ele foi retirado do card do UFC 200 após ser flagrado com uma substância bloqueadora de estrogênio.

Por já ser reincidente Jones pode ser suspenso por até quatro anos.