O Palmeiras [VIDEO] tem apenas o Campeonato Brasileiro para disputar em 2017. No clube, o clima é mesmo de final de ano, mesmo estando ainda em agosto. A eliminação na Copa Libertadores da América para o Barcelona-EQU derrubou o objetivo maior no ano, que era de fato disputar o Mundial de Clubes em dezembro.

De acordo com informações do próprio clube, mais de R$ 100 milhões foram colocados no elenco, que não conseguiu retribuir. Alejandro Guerra, meio campista que veio do Atlético Nacional, confirmou a frustração em entrevista ao dizer que as coisas 'não caminharam' como deveriam ser.

Após a triste eliminação no Allianz Parque, Maurício Galiotte, presidente do clube, e Alexandre Mattos, executivo [VIDEO] de Futebol, foram muito pressionados.

Galiotte recebe ligações diárias para demitir Mattos, além de ser pressionado por Mustafá Contursi, ex-presidente. Já o executivo tenta entender por qual motivo o planejamento não deu certo e tenta arrumar o terreno para 2018.

Reforço confirmado

O zagueiro Emerson Santos, que estava no Botafogo-RJ, vai defender o Palmeiras em 2018. O jogador custará aos cofres palmeirenses cerca de R$ 5,7 milhões. O valor vai integral para a conta do atleta em forma de pagamento de 'luvas'. A informação de que a Crefisa, patrocinadora do Palmeiras, ajudou na negociação ainda não foi confirmada.

Atacante palmeirense recebe duas propostas

De acordo com o jornal Tuttomercato, da Itália, o atacante Miguel Borja pode voltar para a Europa. O diário confirmou que Olympique de Marselha e Sampdoria estão interessados em contar com os serviços do atacante.

No entanto a negociação tem um obstáculo. O Palmeiras quer negociá-lo em definitivo pelos mesmos 12 milhões de euros que custou em janeiro, mas ambos os clubes interessados querem um empréstimo com opção de compra no fim. A ideia é ver se Borja vai melhorar fora do Brasil e evoluir.

No Palmeiras o jogador já completou onze partidas sem marcar nenhum gol e enfrenta um jejum indigesto. O técnico Cuca, quando assumiu o Palmeiras novamente, tentou fazer um trabalho de adaptação que ainda não surtiu efeito. Borja entrou aos 46 minutos da segunda etapa contra o Vasco e viu a torcida pegar no pé de Cuca por isso. No entendimento de alguns fanáticos, o comandante palmeirense prejudicou o atacante inserindo-o no final da partida, sem dar chance para mostrar seu futebol.

Borja chegou do Atlético Nacional como a maior contratação do ano e não vingou.