O Palmeiras [VIDEO] encara o São Paulo, neste domingo (27), no Allianz Parque. O jogo é válido pelo Campeonato Brasileiro e considerado importante na caminhada alviverde por dois motivos.

Eliminado da Copa do Brasil e da Copa Libertadores da América, o planejamento palmeirense confirma que a classificação [VIDEO] para a próxima edição do torneio continental, que será em 2018, é importantíssima. Portanto, vencer o São Paulo e segurar a quarta colocação é importante para o momento que vive o clube atualmente.

Conseguir os três pontos também garante a recuperação do técnico Cuca no Palmeiras. Bastante criticado, o treinador pode ter no clássico um grande divisor de águas.

Na última semana, Cuca tirou o lateral Jean da coletiva e explicou o momento do elenco. Foi uma atitude reconhecida como positiva pela torcida alviverde, que deu um voto de confiança.

Afundar o rival

O São Paulo nunca foi rebaixado para a segunda divisão do Futebol nacional. Já o Palmeiras, por erros administrativos graves, caiu por duas vezes (2002 e 2012). Os torcedores tricolores se vangloriam com a frase de "time grande não cai". Os palmeirenses acreditam que em 2017 a sorte não vai mais acompanhar o rival e a queda pode ser sacramentada.

A rivalidade entre Palmeiras e São Paulo se acirrou nos últimos tempos, principalmente após o presidente time do Morumbi falar que o Verdão estava se ‘’apequenando’’. Desde então, no Allianz Parque, o rival só levou gols e não conseguiu mais vencer no território alviverde.

Suspensão suspensa!

Pode parecer algo dúbio, mas suspensão imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva foi suspensa. O STJD havia aplicado pena de três jogos sem instrumentos e faixas de organizadas, além de seis jogos sem qualquer tipo de torcida visitante. Ou seja, palmeirenses não poderiam acompanhar o Verdão durante seis rodadas do Nacional.

A pena foi aplicada por conta de um tumulto que aconteceu antes do jogo contra o Sport, na Arena Pernambuco. Uma briga entre palmeirenses e torcedores rubro-negros aconteceu, e o Tribunal só puniu o Palmeiras. Maurício Galiotte, presidente do clube paulista, ficou enfurecido e telefonou diversas vezes para membros da corte para justificar. Se o mandante era o Sport, a responsabilidade direta pela segurança do evento era, de fato, total do clube rubro-negro.

A punição ficará ‘’de canto’’ até acontecer um novo julgamento, sem data marcada.