O Palmeiras [VIDEO] saiu derrotado de mais uma partida no Campeonato Brasileiro. A Chapecoense venceu por 2 a 0 e não permitiu que o Verdão evoluísse na tabela de classificação. A 'gordura' acabou, já que o Flamengo encostou e está apenas um ponto atrás na tabela.

Ninguém foi bem ontem. Mesmo com Alejandro Guerra e Moisés, o Palmeiras não tinha poder de criação e se viu perdido. Deyverson [VIDEO] até que tentou puxar o jogo, mas não recebeu bolas boas para concluir. Willian, que voltou oficialmente de contusão, estava muito sem ritmo e não ajudou.

A entrada de Tchê Tchê no segundo tempo melhorou um pouco as ações do time de Cuca, mas a defesa da Chapecoense estava muito bem concentrada, evitando qualquer tipo de bobeada.

No intervalo e também no final da partida, a torcida não perdoou e chamou a equipe de 'sem vergonha'.

Na entrevista coletiva após o fiasco, Cuca trouxe para si a responsabilidade e disse que não iria pedir demissão. Ainda no Allianz Parque, Maurício Galiotte, presidente do clube, e Alexandre Mattos, executivo de Futebol, se reuniram e definiram a permanência do treinador pelo menos até domingo. No final de semana, em casa de novo, o Palmeiras recebe o São Paulo no famoso clássico do 'Choque Rei'. A derrota para o rival pode ser o estopim para confirmar a demissão do treinador.

Proposta negada

O Coritiba correu atrás de alguns reforços e, dentre eles, o meia Hyoran, do Palmeiras. A diretoria coxa branca mandou proposta e o Palmeiras respondeu logo na sequência, negando qualquer tipo de transação.

Hyoran vai ficar no clube e foi um pedido de Cuca.

O meia chegou no começo do ano e não teve muitas oportunidades. Ele estava acertado com o Alviverde Paulista desde novembro de 2016.

Concorrência para trás

Membros da diretoria do Coritiba também procuraram o zagueiro Emerson Santos, do Botafogo-RJ. Receberam a informação de que uma negociação com o Palmeiras já existia e que estava bem adiantada. Dias depois, Emerson foi confirmado como reforço palmeirense pela própria diretoria carioca, limitando assim qualquer chance de ir para o futebol paranaense.

Ameaças de morte

Após o jogo contra a Chapecoense, Alexandre Mattos recebeu algumas ligações e mensagens anônimas. O conteúdo era ameaça de morte. A assessoria de imprensa do Palmeiras confirmou as mensagens, mas não confirmou se Mattos vai procurar a delegacia para dar parte sobre as ameaças sofridas.

É a primeira vez que o executivo passa por esse tipo de situação como empregado do clube.