Parece que o Barcelona [VIDEO] do Equador ficou bastante satisfeito com o empate em 1 a 1, em casa, diante do Santos [VIDEO], nesta quarta-feira (13), pela partida de ida das quartas de final da Copa #Libertadores da América. Tão satisfeitos que o vice-presidente do clube equatoriano, Carlos Alejandro Alfaro Moren, até fez uma provocação ao time brasileiro. De acordo com o dirigente, o time santista se comportou como uma equipe local por ter se fechado na segunda etapa e usado da catimba para ganhar tempo. "Me deu a sensação que não era o #Santos, e sim uma equipe do campeonato local. Parecia o Guayaquil City", disparou em entrevista após o confronto.

E ele foi ainda além, assegurando que sua equipe pode voltar da Vila Belmiro classificada. "Vamos ao Brasil para ganhar deles, sem dúvida", cravou o otimista dirigente.

Santos e Barcelona voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (20), na Vila Belmiro. Como marcou um gol na casa do adversário, um simples empate em 0 a 0 já classifica o Peixe para uma das semifinais, contra Grêmio ou Botafogo. Se o placar em 1 a 1 se repetir, a decisão da vaga vai para as penalidades.

Logística complicada

A complicada logística feita pelo Santos para o jogo no Equador não agradou aos jogadores do Santos, que até fizeram cobranças públicas à diretoria por conta do planejamento, que na visão deles não foi o adequado. "Entendo que poderia ter sido bem melhor do que foi. Nós sentimos bastante essa viagem", afirmou o atacante Ricardo Oliveira.

Os melhores vídeos do dia

Falando em nome do grupo aos canais Fox Sports, o veterano santista disse falar em nome do grupo, que já conversou com a diretoria a respeito disso e que entende as dificuldades do clube; porém, em uma competição tão desejada quanto a Libertadores, o esforço de todos é bem vindo.

A principal "vítima" da maratona enfrentada pelo time santista foi o meia Lucas Lima, que sentiu dores musculares e precisou ser substituído. "Senti uma embolada no músculo ali, infelizmente, foi pela viagem desgastante de 16 horas para chegar aqui. Temos que rever isso", afirmou o jogador.

Após o clássico contra o Corinthians, disputado domingo na Vila Belmiro, a delegação não teve tempo nem para jantar. Por conta do feriado prolongado e do grande tráfego que enfrentaria na subida da serra, a diretoria ficou temerosa por perder o voo e decidiu que os jogadores apenas jantariam no aeroporto. Como não há voo direto de São Paulo até Guayaquil, a delegação teve que ir até Bogotá, na Colômbia e de lá seguir para a capital equatoriana. Ao todo foram 16 horas de viagem.

O presidente Modesto Roma revelou que tentou antecipar o clássico contra o Corinthians para sábado (9), mas teve o pedido negado. #PaixãoPorFutebol