Com um total de oito representantes na Libertadores de 2017, o Brasil chega à fase de semifinal com apenas uma equipe. O Grêmio, bicampeão do torneio nos anos de 1983 e 1995, é o único clube brasileiro que segue firme na briga pelo título. No meio desta semana foi concluída a fase de quartas de final, e a expectativa por um duelo brasileiro na semi ficou frustrada pelo vacilo do Santos.

O Peixe tinha tudo para conquistar um grande resultado e avançar diante do Barcelona, do Equador.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Grêmio

Além de jogar na sua sempre pulsante Vila Belmiro, o Santos defendia a invencibilidade dentro da competição - era o único time que não havia perdido ao longo do torneio. No mesmo passo, existia uma vantagem interessante para o jogo da volta nesta quarta-feira, já que, na ida, no Equador, os brasileiros buscaram um empate em 1x1.

Logo, até mesmo um 0x0 na Vila classificaria o time do litoral paulista. Mas faltou um futebol mais convincente para erradicar os perigos do Barcelona, que já tinha vitimado o Palmeiras na fase de oitavas de final e o Botafogo, durante a primeira fase. No segundo tempo, em um belo cabeceio diante do goleiro Vanderlei, Ángel fez o gol único do jogo e se tornou o pivô da surpreendente classificação equatoriana.

Na coletiva de imprensa, o técnico santista Levir Culpi reconheceu que o adversário teve méritos e lamentou a baixa produtividade de sua equipe, mas alertou a falta que Renato e Lucas Lima fizeram ao time na quarta. Ambos foram ausências por conta de lesão. O Santos, agora, se concentra apenas no Campeonato Brasileiro.

Tensão absoluta, mas final feliz na Arena

Algoz do Santos, o Barcelona terá um outro time brasileiro pela frente.

Agora é o Grêmio [VIDEO] que terá a missão de tentar parar os equatorianos, uma vez que o tricolor gaúcho repetiu o que fez na temporada de 2009 e voltou a se classificar para a disputa de uma fase semifinal. Mas não sem sustos. Diante de um valente Botafogo, os gremistas tiveram dificuldades e por pouco não saíram atrás do placar no primeiro tempo.

O jogo, que foi disputado simultaneamente ao do Santos, na quarta, mostrou um Botafogo agressivo e insinuante na primeira etapa. Rodrigo Pimpão, Bruno Silva e Victor Luís - este de falta - apresentaram as melhores chances do alvinegro, que tinha uma leve vantagem por ter empatado o jogo de ida por 0x0, no Engenhão - RJ.

Do outro lado, o treinador gremista Renato Gaúcho decidiu mudar o time ainda no primeiro tempo e lançou o atacante Everton no lugar de Léo Moura, que atuava no meio campo em razão da ausência de Luan. Com isso, o Grêmio passou a atacar mais e sofrer menos, mas demorou a encontrar o gol salvador.

Foi aos 17 minutos que o alívio de mais de 50 mil pessoas aconteceu.

Após uma cobrança de falta no flanco direito, Lucas Barrios subiu mais que todo mundo e cabeceou firme para as redes. A partir daí, o Grêmio soube se segurar na defesa e manteve o sonho do tricampeonato.

Argentinos do outro lado da chave

Nesta quinta-feira, a fase de quartas de final foi completada por dois jogos. Mais cedo, o River Plate protagonizou uma virada incrível sobre o boliviano Jorge Wilstermann, que havia vencido o primeiro jogo por 3x0. Elétrico em campo, os campeões da edição de 2015 venceram por incríveis 8x0, com direito a cinco gols do ex-atacante do Inter, Ignacio Scocco.

O River, agora, terá pela frente uma outra equipe argentina. No jogo de fundo, das 21h45, Lanus e San Lorenzo protagonizaram um confronto equilibrado, que só foi decidido nas penalidades máximas. Durante o tempo normal, o Lanus devolveu o 2x0 sofrido no jogo de ida e depois, na marca da cal, foi mais eficiente para carimbar a vaga à semi.

Semifinais:

River Plate x Lanus

Grêmio x Barcelona