Quem acompanha a carreira do psicólogo esportivo em meio ao circuito profissional ao lado de grandes e conhecidos nomes do tênis, não imagina as dificuldades pelas quais já passou, como pegador de bolas e flanelinha - a história de Aparício é marcada por momentos de emoção e superação.

Aparício é formado pela Universidade Veiga de Almeida do Rio de Janeiro em psicologia. Na sequência cursou dois anos de Educação Física na Universidade de Santo Amaro e ainda se formou em Administração de Empresas na Uni San'tanna, em São Paulo.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Além disso, é graduado em Hipnose Clínica e Pós Graduado em Hipnoterapia Comportamental Cognitiva.

A história no esporte de Aparício começou no Clube Atlético Indiano em São Paulo.

Ele conta que ganhava roupas dos sócios e chegou a jogar tênis com a mão, pois não tinha condições para comprar raquete. Hoje é sócio remido por ter sido o maior ganhador de Interclubes da história do clube.

“Quando era boleiro, no Hobby Sports, o ônibus passava as 06h15min longe da minha casa, eu caminhava dez minutos e na maioria das vezes, aos 11 anos, eu ficava pendurado de tão lotado que partia o ônibus. Cheguei a assistir Borg x Panatta no antigo Cpt por um buraco da parede porque não tinha entradas. A caminhada foi longa, meus golpes foram forjados no medo, mas mesmo assim ainda ganhei de grandes tenistas como Jaime Oncins, Alexandre Hocevar ,Eduardo Furusho ,Celso Sacomandi , entre outros.”, diz o psicólogo.

Como TENISTA chegou a pegar quatro conduções de ônibus para jogar torneios.

Em 2006, vendeu o carro e largou a boa estabilidade financeira como professor de tênis em São Paulo para iniciar uma terceira faculdade de Psicologia. "Gosto de mudanças, água parada se torna turva e estagnada, para me manter na Universidade Veiga de Almeida cheguei a vender óculos de sol no pátio para amigos psicólogos”.

Quem abriu as portas para Aparicio na psicologia esportiva foi Ricardo Acioly. “Fui o primeiro Psicólogo do esporte a trabalhar diretamente com um jogador numa taça Davis de tênis no Brasil". Quem também exerceu papel importante na carreira de Aparício foi Carlos Kirmayr. “Graças ao tenista Kirmayr e toda sua família (Isabel, Carlinhos, Dênis e Christian) comecei a fazer palestras como Psicólogo inspirado nos livros de James Loher”.

Palestra em Projeto Social

O Instituto localizado em Curitiba foi idealizado pelo treinador Eduardo Marcolin, que perdeu o filho tenista em um acidente de moto. Duda - como é conhecido no meio do tênis, viajava com uma das promessas do tênis brasileiro, o tenista Alexandre Bonatto.

Hoje o projeto atende mais de 500 crianças de baixa renda utilizando o tênis como principal ferramenta de educação. Aparício se identificou muito com o projeto Instituto Icaro que ajuda crianças e acompanhado pelos jovens tenistas Juliana Munhoz e João Loureiro visitou algumas casas de tenistas do projeto. “O projeto tem muitas coisas boas. Tem muita gente que fala, mas não ajuda o nosso país. Sempre que vou à Curitiba visito o Instituto. Passa um filme na minha cabeça, me emociono o tempo todo. Cada tenista do projeto que eu vejo, parece que estou me vendo no passado. Penso que a educação é o principal caminho para mudarmos o cenário do ‘povo marcado, povo feliz’ de Zé Ramalho, em sua música 'Admirável Gado Novo'. Um dia o tênis acaba, é preciso aproveitar a carreira.”