Na edição desta sexta-feira (1º) o jornal [VIDEO] carioca Extra fez uma brincadeira – de gosto duvidoso - ao publicar uma espécie de editorial na primeira página informando que deixaria de chamar o goleiro do Flamengo [VIDEO] Alex Muralha por seu apelido por conta das más atuações que vem fazendo nos últimos jogos. O jogador flamenguista não gostou, dizendo que se se sentiu humilhado e que o teor do artigo é semelhante ao usado a bandidos.

O goleiro de 27 anos emitiu um comunicado afirmando, entre outras coisas, que ficou indignado e se sentiu humilhado, por algo que passa longe de ser uma brincadeira. Ele disse ainda que aceita críticas e brincadeiras de torcida, mas que o episódio é uma "execração pública".

“Uma coisa são as críticas que recebemos, e não sou contra, nos fazem crescer. Brincadeiras da torcida também são normais. Mas outra coisa é mexer com o ser humano. Isso está longe de ser uma brincadeira”, disse um trecho do comunicado. Ele ainda comparou o teor do que foi escrito como ao usado para bandidos e ainda condenou o posicionamento do veículo, o qual classificou como irresponsável e de mau gosto. “Me senti sendo 'fichado' como tal na capa do jornal”, disse o goleiro, acreditando que isso pode até incitar a violência.

No topo de sua primeira página, acompanhado de uma foto do jogador e com o título de comunicado, o jornal estampou um texto afirmando que, a partir daquela data, o leitor do jornal não entrará a palavra “muralha” relacionada ao jogador, afirmando que o mesmo havia desmoralizado o apelido.

Os melhores vídeos do dia

O texto ainda citou a falha – chamada por eles de ‘’frango’’ -, na partida contra o Paraná Clube pela primeira Liga, o fato de ele ter errado todos os cantos nas cobranças de penalidades e ainda lembrou que o goleiro está há 545 dias sem pegar uma cobrança de pênalti.

A brincadeira também desagradou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, que convocou uma entrevista coletiva para defender o jogador do que classificou como uma covardia do que fizeram com ele. “Estamos falando de um ser humano que tem filho, pai e mãe, como todos nós aqui, e que foi vítima dessa covardia”, disse.

Após a reclamação do jogador e do presidente, o jornal Extra também publicou uma nota oficial afirmando que é um dos grandes interessados em voltar a chamar o goleiro pelo apelido, mas que isso depende de que o jogador faça grandes atuações para merecê-lo. O jornal exaltou ainda o bom humor, algo que faz falta no futebol, o qual acredita que trilha um caminho oposto ao da violência. Por fim, a publicação se desculpou com o jogador.

Independente das críticas, Alex Muralha deverá ser o goleiro titular do Flamengo no primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil contra o Cruzeiro, marcado para o dia 7, no Maracanã.