Campeão paulista pelo São Paulo em 2005 e parcialmente responsável pelo título da Copa Libertadores da América daquele ano, o treinador Émerson Leão comentou sobre a situação do São Paulo no Campeonato Brasileiro, mandou recado a Dorival Júnior e deu a opinião sobre a confusão envolvendo o meia peruano Cueva e o zagueiro Rodrigo Caio.

O treinador participou do programa Mais 90, do canal fechado Esporte Interativo, que vai ao ar de segunda a sexta entre 15h30 e 17h. Leão mandou um recado direto para Dorival, a quem chama apenas de Júnior.

“Júnior, não se preocupe com nada que acontecesse da porta para fora”, falou ao ser questionado por Andre Henning se recebeu alguma proposta para assumir o São Paulo.

“Cuida da porta para dentro. Chama os dois moleques que discutiram. Esse negócio de ‘pergunta pra fulano’, tudo coisa de mocinha [VIDEO]”, falou Leão sobre a confusão envolvendo Cueva e Rodrigo Caio.

Na última semana, o zagueiro afirmou que o meia precisava se ajudar para voltar a jogar bola. No sábado (9), após o empate por 2 a 2 com a Ponte Preta, no Morumbi, pelo Brasileirão, repórteres tentaram falaram com Cueva e ele respondeu pedindo aos repórteres que falassem com Rodrigo Caio. [VIDEO]

A confusão mostrou que o clima dentro do São Paulo não é dos melhores entre os jogadores. Leão também falou sobre isso no recado dado ao treinador do Tricolor.

“Tem que ter tranquilidade, paciência, tem que ter tudo. Junior, você tem que sentar mais vezes com essa turma, tomar decisões e joga dia a dia, corre atrás do resultado, vale 50%, você tem mais qualidade do que muita gente pensa.

Não liga para ‘o Muricy vai chegar’, ‘o Leão vai chegar’, cumpra com a sua obrigação que você vai bem”, disse Leão.

Leão no São Paulo

O treinador foi novamente questionado sobre um convite para dirigir o São Paulo e respondeu de forma direta. “Ninguém ligou para mim e não precisa ligar. O Junior é treinador”, afirmou Leão.

Émerson Leão passou pelo São Paulo em 2005. No comando da equipe, foi campeão paulista daquele ano. Além de uma campanha impecável no Paulistão, o time também foi bem na Libertadores.

Mas antes do título da competição continental, Leão aceitou um convite para dirigir uma equipe japonesa. À época, o treinador explicou que estava pagando uma dívida de gratidão a um amigo.

Sem ele, Paulo Autuori assumiu e a equipe foi campeã da Libertadores e do mundo naquele. O título paulista iniciou uma era vitoriosa no Tricolor, que entre 2005 e 2008 conquistou estadual, nacional, libertadores e mundial.