Como você acompanha desde domingo (17) no Blasting News, Neymar e Cavani se desentenderam dentro de campo para ver quem seria o cobrador das bolas paradas do PSG e, depois, quase se agrediram dentro do vestiário após o jogo [VIDEO]. Nesta terça-feira (19), a situação entre os dois jogadores ganhou um novo desdobramento. Contratado para ser a referência do clube francês, o brasileiro teria pedido para o presidente Nasser Al-Khelaifi que o uruguaio seja negociado o mais rápido possível.

As informações foram publicadas pelo jornal espanhol Sport. De acordo com a publicação, a convivência entre as duas estrelas estaria insustentável.

O informativo estrangeiro ainda garante que Neymar [VIDEO] tem o apoio da "colônia brasileira" que se formou no vestiário do #PSG, além de Kylian Mbappé, contratado para ser a grande dupla de ataque para #Neymar.

No entanto, esse não parece ser o desejo do dono do clube francês. Segundo o jornal francês Le Parisien, Al-Khelaifi teria convocado uma reunião com Cavani, Neymar, o técnico Unai Emery e o diretor de futebol Antero Henrique. A intenção do presidente da equipe é fazer com que os jogadores se entendam e enterrem a polêmica de quem é cobrador oficial de faltas e pênaltis do PSG.

Negociação de Cavani seria difícil

Parece que Neymar e Cavani terão que se aturar pelo menos até o final da atual temporada. O PSG não tem intenção de negociar o atacante uruguaio e mesmo que quisesse, a janela de transferências está fechada para possíveis negociações.

Além disso, Cavani já atuou pela equipe francesa na Champions League, o que significa que os clubes que disputam a competição europeia não poderiam contar com o atleta caso o contratassem.

Na última janela, era esperado que o uruguaio fosse negociado, até pelas contratações de Neymar e Mbappé. Os principais destinos eram o Manchester United e o Atlético de Madrid, mas no final do período, o PSG decidiu não negociar o uruguaio. Cavani está desde 2013 no PSG, desde então foram 206 jogos e 139 gols pela equipe.

Vale ainda lembrar que Cavani renovou o contrato com os parisienses ainda na temporada passada. O novo vínculo vai até a metade de 2020. O francês chegou ao clube vindo do Napoli, por 65 milhões de euros. Além de ser uma referência em Paris, o algoz de Neymar também está perto de se tornar o maior artilheiro da história do clube francês. O uruguaio está atrás apenas de Ibrahimovic na lista de goleadores, que tem 156 gols com a camisa do PSG. #confusão