Menos de 24 horas depois de ter dado uma entrevista desastrosa, detonando o ex-técnico Rogerio Ceni (que pode ser lida clicando aqui) o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros Silva, o Leco, é acusado de ter agredido física e verbalmente, o conselheiro do clube, Carlos Mauad.

Segundo declarações de Mauad, a confusão ocorreu no domingo (24), quando São Paulo e Corinthians empataram em 1 x 1 no Morumbi. Ele estava saindo dos camarotes e quando viu o presidente, estendeu a mão para cumprimentá-lo, nesse momento, Leco passou a xingá-lo de vários palavrões e pegou na garganta do conselheiro que gritou para que não colocasse a mão nele.

Mauad afirmou ainda que o filho do presidente, Fernando de Barros e Silva, chegou a empurrá-lo, mas depois tentou separar para evitar uma confusão maior. O conselheiro disse que na hora da confusão estava com um saco de pipoca em uma das mãos e com a outra, conseguiu se proteger Ele disse ainda que acha que no meio da confusão, Leco tentou segura-lo pela camisa para lhe desferir um soco.

O conselheiro que está no São Paulo há 33 anos e tem 65 anos de idade, disse que foi aconselhado a ir a uma delegacia nesta segunda-feira (25) para registar um boletim de ocorrência por causa da esganadura que constitui uma agressão. Segundo ele, se houver câmeras no local da confusão, certamente, elas registraram o que ele falou. Mauad decidiu acatar os conselhos e pretende prestar queixa.

Ele está perdido

O motivo da agressão que Mauad alega ter sofrido, teria ocorrido, segundo ele, pelo fato de estar cobrando [VIDEO] muito no Facebook sobre jogadores que são contratados e os que foram negociados, mas que não esperava tal atitude do presidente do São Paulo “Ele mostrou desespero de quem está perdido.”

Leco pode se dar mal

Caso a agressão do presidente do São Paulo ao conselheiro seja confirmada, ele poderá, além do problema na esfera policial, ter que responder internamente, pois o estatuto do clube prevê suspensões de até 120 dias para agressões físicas de dirigentes ou conselheiros.

Sem contar o mal-estar que ocorrerá com os demais conselheiros ao saberem que o presidente do clube decidiu resolver no braço com quem o criticou.

Mauad afirma não guardar rancor de Leco, mas acredita que o presidente não está aguentando a pressão e o que melhor seria se afastar por um tempo para depois voltar.

Crise sem fim

Além de estar vivendo um verdadeiro drama para não cair para a Série B do Brasileirão, o São Paulo ainda é obrigado a conviver com várias crises fora de campo. No sábado, foi divulgada no portal do Uol, uma matéria onde Leco detona a passagem de Rogerio Ceni como técnico e se exime de culpa. Um dia depois, esse episódio volta a agitar os bastidores do Morumbi.