A última janela de transferências do Futebol, na temporada 2017-18, encerrada no último sábado, dia 1º de setembro, foi marcada por uma movimentação intensa no mercado da bola, altos investimentos, valores recordes, negócios de última hora, sucessos e fracassos. Somando todas as transferências realizadas nesta janela, foram gastos mais de 5 bilhões de euros (aproximadamente R$ 18 bilhões). Entre todas as ligas, a que mais chamou a atenção foi a Premier League, em que seus clubes gastaram mais de 1 bilhão e 550 milhões de euros (quase R$ 6 bilhões) em contratações. Isso se deve muito ao fato do novo acordo de TV, firmado em 2015 na casa dos 5,1 bilhões de libras (cerca de R$ 22,4 bilhões) por três temporadas.

O acordo passou a valer a partir da temporada atual e rendeu R$ 10 bilhões, que foram distribuídos entre os clubes da elite do futebol inglês.

A maior e mais bombástica contratação desta janela, sem dúvida alguma, foi a do atacante brasileiro Neymar [VIDEO], que trocou a confortável sombra de Messi [VIDEO] pela missão muito bem remunerada de ser o astro do Paris Saint-Germain em busca da inédita conquista da Uefa Champions League. Para cumprir sua meta, Neymar terá 5 anos de contrato. Mas não foi barato contratá-lo, aliás, foi bem caro. O dono do clube francês, Nasser Al-Khelaïfi, pagou 222 milhões de euros (R$ 824 milhões), aniquilando o recorde anterior que era da transferência de Paul Pogba da Juventus para o Manchester United por 105 milhões de euros.

Mas Neymar não estará sozinho no PSG.

Os melhores vídeos do dia

Além das estrelas que já estavam no clube, como Cavani e Di María, ele ainda ganhou a companhia do jovem atacante francês Kylian Mbappé [VIDEO]. O jovem de 18 anos, cobiçado por gigantes europeus, foi fruto de uma manobra para burlar as normas impostas pelo Fair Play Financeiro da Uefa. Curiosamente, os parisienses tiveram um auxílio inusitado para fazer isso. O Mônaco, rival do PSG e atual campeão francês, aceitou emprestar o atleta, amarrando a negociação por meio de uma cláusula que garante o negócio assim que o Paris confirmar a presença na primeira divisão francesa, o que é questão de tempo, levando em conta o desempenho da equipe e os craques que têm a disposição. O acordo feito gira em torno de 160 milhões de euros (R$ 596 milhões), mais 20 milhões (R$ 74 milhões) que dependem do desempenho do atleta. Hoje, a transferência seria a segunda maior da história do futebol mundial, atrás apenas do negócio envolvendo Neymar.

Afetado pela perda de Neymar, o Barcelona correu atrás de um substituto, tendo em caixa o valor astronômico recebido pelo jogador.

Mas não foi nada fácil para os catalães. A maior contratação do clube para essa temporada foi a do atacante francês Ousmane Dembélé, de 20 anos, que chegou por um valor bastante questionável. O clube pagou 105 milhões de euros (aproximadamente R$ 390 milhões) ao Borussia Dortmund pelo jovem. O maior alvo, no entanto, não era ele. Mas sim, Phillipe Coutinho. Pelo meia-atacante brasileiro, o Barcelona lutou até o último dia de janela, quando acabou desistindo. Foram destacadas na imprensa que o clube fez pelo menos quatro ofertas ao Liverpool pelo jogador. A primeira, no fim de julho: 80 milhões de euros (cerca de R$ 301 milhões); a segunda em 9 de agosto: 100 milhões (aproximadamente R$ 376 milhões) [VIDEO]; a terceira no dia 18 de agosto: 120 milhões (cerca de R$ 451 milhões) e finalmente, a última no dia 30 de agosto: 160 milhões (aproximadamente R$ 601 milhões) [VIDEO]. Mas não deu para o Barça. O Liverpool bateu o pé e recusou todas as ofertas, ressaltando que o jogador não estava a venda, apesar de sua vontade de deixar o clube ter sido expressa publicamente.

Supremacia dos clubes ingleses

Apesar de não terem feito a maior contratação da janela, os clubes da Premier League conseguiram realizar 7 das 10 maiores contratações na temporada. Romelu Lukaku deixou o Everton e foi para o Manchester United em um negócio de mais de 84,7 milhões de euros. Álvaro Morata foi contratado pelo Chelsea junto ao Real Madrid por 62 milhões. O lateral Mendy chegou ao Manchester City pela bagatela de 57,5 milhões. Lacazette tornou-se jogador do Arsenal por 53 milhões. Fecham a lista, o lateral Walker que trocou o Tottenham pelo City por 51 milhões, além de Bernardo Silva que deixou o Mônaco para se juntar aos Citizens por 50 milhões e Sigurdsson, contratado pelo Everton por "apenas" 49,4 milhões. Não à toa, os ingleses foram os que mais gastaram nesta janela. Os clubes da Premier League torraram mais de 1 bilhão e 550 milhões (quase R$ 6 bilhões) em contratações. Mérito deles, pois, em 2015, assinaram um novo acordo de TV, que pagará em três temporadas o valor de 5,1 bilhões de libras (aproximadamente R$ 22,4 bilhões). No início desta temporada, receberam a primeira parte equivalente a R$ 10 bilhões, que foram divididos entre os 20 clubes que participaram da última edição do campeonato.

Só para constar, as outras ligas em que os clubes mais gastaram foram a Serie A italiana com mais de 821 milhões de euros, seguida pela Ligue 1 francesa com mais de 670 milhões, depois delas a Bundesliga alemã com mais de 570 milhões e, fechando os cinco primeiros, a LaLiga espanhola com mais de 550 milhões gastos com transferências. A critério de curiosidade, a sexta posição é da segunda divisão inglesa, a Championship com mais de 230 milhões.

Quem se deu bem nesta janela

O Benfica acabou se saindo muito bem nesta janela de transferências, pelo menos levando em conta o lucro na venda de seus jogadores. O clube português efetuou 36 contratações gastando a ‘pechincha’ de 8,85 milhões de euros. Já em relação às suas vendas, o clube recebeu 130,85 milhões de euros. Contudo, o Benfica obteve lucro de 122 milhões de euros nesta janela, sendo o líder nesse quesito.

O segundo clube que melhor vendeu foi o Borussia Dortmund que obteve lucro de 83,77 milhões de euros. O Borussia é seguido pelo gigante Real Madrid, que depois de já ter gasto mais de 2 bilhões de euros nas últimas temporadas, optou por manter a base bicampeã da Europa, comandada pelo ídolo Zidane. Com isso, o clube merengue teve um lucro de 76,5 milhões com as vendas de seus jogadores – principalmente a do atacante Morata que foi para o Chelsea por 62 milhões de euros.

O quarto colocado é o Mônaco. O clube do Principado se destacou muito com a conquista do título francês e da boa campanha na Champions, o que rendeu boas vendas como a ida de Bernardo Silva para o City por 50 milhões de euros. Além disso, com o negócio fechado de Mbappé, o clube irá receber mais 140 milhões de euros pelo menos (valor que pode chegar a 160 milhões de euros se cumprida todas as metas pelo jogador). Sem contar o valor que receberá pelo jovem, o clube lucrou 75,5 milhões de euros com suas negociações. Contanto com a venda de Mbappé, o lucro ultrapassa a casa dos 215 milhões de euros, sendo bem maior que o do líder Benfica. Fechando os cinco primeiros, está o Lyon que teve um lucro de 69,5 milhões de euros em seus negócios.

Brasileiros mais caros nesta janela

O brasileiro mais caro da janela, é também o mais caro da história e todos já sabem que se trata de Neymar – o homem de 222 milhões de euros. Depois dele, aparece o meia-central Paulinho, transferido ao Barcelona por 40 milhões de euros. Empatado com ele está o goleiro mais caro da história: Éderson, que deixou o Benfica e chegou ao City também por 40 milhões de euros. Em quarto aparece o lateral-direito Danilo que trocou o Real também pelo City de Guardiola por 30 milhões de euros. Fechando os cinco mais caros, está o lateral-esquerdo Dalbert, que se destacou pelo Nice da França e foi contratado pela Internazionale por 20 milhões de euros.