Com o presidente Pedro Abad acompanhando o trabalho, o Fluminense encerrou, na manhã deste sábado, no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, a sua preparação para o confronto de domingo, às 17h (de Brasília), no Maracanã, diante do Bahia, válido pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Como de praxe em véspera de jogos, a imprensa não teve acesso e, por isso, o técnico Abel Braga adotou a habitual prática do mistério em relação a quem entrará em campo.

Apesar do segredo, o zagueiro Henrique e o volante Douglas, recuperados de lesões, devem a ser as principais novidades do Tricolor das Laranjeiras. A tendência, porém, é de ambos começarem como opções no banco de reservas.

Outro que pode voltar é Gum. Após desfalcar a equipe no Fla-Flu da última quarta por não estar inscrito na Copa Sul-Americana, o camisa 3, provavelmente, formará o setor defensivo com Reginaldo.

Durante grande parte do treinamento, Abel deu ênfase à manutenção da posse de bola associada a uma intensa movimentação, especialmente no sistema ofensivo. Para encerrar, os jogadores tentaram aprimorar as finalizações e cruzamentos na área.

Encerrado o treino, o grupo foi liberado e só se apresenta no final da manhã do dia do jogo em um hotel na zona sul do Rio. A provável escalação do Fluminense é a seguinte: Diego Cavalieri, Lucas, Reginaldo, Gum e Marlon; Richard, Wendel e Junior Sornoza; Gustavo Scarpa, Marcos Junior e Henrique Dourado.

Mesmo ocupando o 13º lugar, o Fluminense soma 38 pontos, seis a mais em relação à Ponte Preta, primeira equipe que, no momento, abre o Z-4.

Por isso, uma vitória é considerada fundamental para a agremiação das Laranjeiras se distanciar da zona de rebaixamento. Depois do Bahia, o Tricolor terá duas partidas no Rio: sábado, dia 04 de novembro, no Nilton Santos, contra o Botafogo e, cinco dias depois, encara o Coritiba, no Maracanã.

Nesse meio tempo, o Fluminense decide a sua sorte nas quartas-de-final da Sul-Americana. Na próxima quarta, às 21h45 (de Brasília), enfrentará, também no Maracanã, o Flamengo, precisando vencer por dois ou mais gols de diferença, uma vez que, na semana passada, acabou sendo derrotado pelo rival pelo placar de 1 a 0. Vitórias por um gol de diferença, desde que balance as redes, pelo menos, duas vezes, também servem. Caso devolva o resultado do duelo de ida, necessitará, obrigatoriamente, obter uma vitória na decisão dos tiros livres da marca de pênalti.