O Grêmio já vencia por 2x0 quando uma bola alçada em sua própria área de defesa poderia começar a atrapalhar os planos. Com um gol naquele instante, ainda no início do segundo tempo, o Barcelona de Guayaquil não apenas poderia reduzir o placar como voltaria a acreditar na virada, e, por consequência, na possibilidade de ir à final da Libertadores. Mas lá estava Marcelo Grohe para fazer uma das defesas mais incríveis de 2017.

A bola levantada contou com um desvio no primeiro pau, que foi o suficiente para deixar o centroavante Ariel Nahuelpán livre e em condição legal dentro da pequena área apenas para arrematar para as redes.

Canhoto, a bola ainda se ofereceu caprichosamente para o seu pé esquerdo. Ele optou por bater forte, mas viu Grohe saltar com os braços abertos e evitar o gol que poderia recolocar o Barcelona na disputa.

O incrível lance foi um dos temas mais comentados pela imprensa do mundo todo após o jogo, que terminou com uma soberana vitória do Grêmio por 3x0. Grohe, por exemplo, virou assunto mais comentado no Twitter em razão da gigante defesa no estádio Monumental, de Guayaquil.

O jornal britânico The Sun se entusiasmou com a defesa do goleiro brasileiro e escreveu que "Grohe fez a melhor defesa de todos os tempos em jogo pela Libertadores". Já o Diário Olé, da Argentina, frisou que o arqueiro do Grêmio fez a "defesa do ano". Curiosamente, Ariel é argentino e jogou no Inter, rival do Grêmio, em 2016 - ano do inédito rebaixamento colorado.

Os melhores vídeos do dia

"Era o que dava para fazer", disse Grohe

Sempre ponderado e articulado nas entrevistas, Grohe manteve a humildade e não demonstrou muita euforia pela defesa realizada. Religioso, procurou agradecer a Deus e resumiu o movimento feito no lance ao fato de que "era o que dava para fazer".

“Quanto à, tenho que glorificar a Deus por sempre me capacitar. Era o que eu poderia fazer ali naquele momento. Era o que dava. Saltar e tentar abafar, e consegui abrir os braços, porque a bola sobrou livre para o Ariel chutar com força”, disse o goleiro logo na saída de campo, na quarta-feira, à reportagem do SporTV.

Marcelo Grohe está no elenco profissional do Grêmio desde 2005 e entre a convivência com grandes goleiros do porte de Victor e Dida, ele só foi assumir a titularidade de maneira incontestável em 2014. Desde então é o responsável pela meta tricolor, mas as contestações por parte da torcida e até mesmo da imprensa não são raras.

Neste ano, aliás, ele viveu um grande teste de paciência e teve que mostrar força para seguir no Grêmio após um lance contra o Corinthians, na Arena, no primeiro turno do Brasileirão.

Em um jogo que naquele momento era crucial para a liderança, Grohe não segurou um chute de Jadson, que passou pelo meio de suas pernas. Daquele jogo em diante, o goleiro acabou sendo mais uma vez criticado. Mas deu a volta por cima.

"Desde o meu primeiro jogo no Grêmio [VIDEO] eu sou contestado. Temos que saber lidar com isso e procurar trabalhar da melhor forma. Isso faz parte do futebol. A posição de goleiro é complicada, é de muita cobrança. Ao longo de todos esses anos eu convivi com isso. Lido como um estímulo para cada vez mais crescer. Não é resposta para ninguém, mas para mim mesmo", resumiu Grohe em participação no programa Seleção SporTV nesta sexta-feira.

A titularidade de Grohe chegou a ser ameaçada pelo grande início de Paulo Victor, ex-Flamengo, que reforçou o Grêmio durante o Brasileirão. Mas o herói gremista em Guayaquil seguiu prestigiado pelo técnico Renato Gaúcho e virou notícia aos quatro cantos do mundo nesta semana. Com ele assegurado na meta, o Grêmio tenta carimbar a vaga à final da Libertadores em casa na quarta-feira que vem.