Acompanhado de sua noiva, Andressa Perkovski, no programa “Todo Seu”, desta segunda-feira (16), apresentado pelo cantor Ronnie Vonn, na TV Gazeta, o ex-goleiro da Chapecoense Jackson Follmann disse que vai se casar neste próximo dia 20. O casal, teve o prazer de saborear um requintado jantar, enquanto conversava com o apresentador.

Sobre a tragédia com o avião que causou 71 mortes e da qual o ex-goleiro é um dos sobreviventes, Follmann, disse que “olho muito para frente, mas nunca vou esquecer o ocorrido”. O ex-atleta contou ao apresentador que sofreu 13 fraturas pelo corpo neste acidente de avião.

Follman agradece a Deus pela sua vida

Contou também, que ao ficar sabendo que iria ter de passar por amputação de perna, pensou: “Eu prefiro a minha vida [VIDEO] do que a minha perna”.

Sempre muito confiante e agradecido a Deus por ser um dos seis sobreviventes, o ex-goleiro entende que se não fosse dessa forma, estaria sendo injusto consigo mesmo e com o Criador, porque muitas famílias perderam seus entes queridos, enquanto ele está vivo. “Vou ser eternamente grato a Deus pela minha #vida”, afirmou Follman a Ronnie Von.

Von dá a Follman status de superação por não ter ficado com medo de avião

Durante o animado bate-papo, Von atribuiu ao jogador o status de superação, ao destacar que mesmo tendo caído de avião, o ex-futebolista continua utilizando aeronaves em suas viagens, sem deixar que a tragédia lhe causasse traumas.

Follmann explicou, que atualmente, exerce a função de embaixador da Chapecoense, e acompanha o presidente do clube, Plínio David de Nês, o Maninho, em atividades.

Com a garra de vencedor Follman quer ser um gestor da Chape

Jackson acrescentou, que tem o papel de representá-lo em lugares que ele não pode se fazer presente. O ex-goleiro revelou ainda, que está estudando para se tornar um dos gestores do clube.

Follmann, que recebe muito carinho pelos lugares que frequenta, destacou que percebe a torcida de todos por ele.

Delegação seguia para a primeira final da Copa Sul-Americana

A tragédia com o avião da Chapecoense ocorreu no dia 29 de novembro de 2016, na Colômbia, deixando 71 mortos e seis sobreviventes. A Delegação da Chape seguia para disputar a primeira final da Copa Sul-Americana em Medellín, tendo como adversário, o Atlético Nacional.

Além de Jackson Follmann, sobreviveram ao acidente: o zagueiro Neto; o lateral Alan Rushel; o jornalista Rafael Henzel; os tripulantes Ximena Suaréz e Erwin Tumiri. #amputação #requintado jantar